domingo, março 15, 2015

Nasa lança quatro naves para estudar campo magnético




A Nasa lançou quatro naves para estudar o campo magnético que rodeia a Terra e suas interações com os ventos solares, que em alguns casos podem afetar as telecomunicações, o GPS e redes elétricas.
Os satélites circulam numa órbita de um perigeu de 7.500 quilômetros e um apogeu de 75.000 quilômetros na primeira fase da missão.
As quatro naves espaciais idênticas - de 1,2 tonelada cada uma - da missão "Magnetospheric Multiscale" ou MMS voarão em formação de pirâmide, o que permitirá obter imagens em três dimensões e recolher uma grande quantidade de informação desta zona de colisão entre o campo magnético terrestre e as partículas solares que chegam a grande velocidade e formam seu próprio campo magnético, a cerca de 60.000 km da Terra.
O campo magnético do nosso planeta normalmente o protege destas partículas, mas quando há erupções solares de alta potência ocorre um fenômeno chamado de reconexão magnética na magnetosfera terrestre responsável pelas auroras boreais e também pelas tormentas magnéticas que podem perturbar os satélites de comunicações e as redes elétricas.
"A reconexão magnética é um dos fatores mais importantes nos fenômenos meteorológicos espaciais", explica Jeff Newmark, diretor da divisão de heliofísica da Nasa.
"As erupções solares, as ejeções de massa coronal, as tempestades de geomagnéticas...todos esses fenômenos incluem a liberação por reconexão magnética de energia armazenada nos campos magnéticos", detalha.
A missão durará dois anos.
Na primeira fase, as sondas MMS explorarão a região onde o vento solar se choca com o campo magnético da Terra.
Diferentemente de missões anteriores para estudar as reconexões magnéticas, os satélites MMS terão uma resolução suficientemente alta para capturar o fenômeno em tempo real, no momento em que ocorrerem.
Os quatro satélites começarão a missão científica em setembro, quando estiverem os instrumentos estiverem calibrados.

0 comentários:

Postar um comentário