quinta-feira, setembro 03, 2015

Secretário Kleber Lima recebe visita do novo presidente do Grupo de União e Consciência Negra de Mato Grosso


O secretário municipal de Governo e Comunicação, Kleber Lima, recebeu na tarde desta quinta-feira (03) a visita do novo presidente do Grupo de União e Consciência Negra de Mato Grosso (Grucon), Edevande Pinto de França, que tomou posse na nova gestão em 29 de agosto.

Ao longo do encontro, o presidente também pediu suporte à prefeitura para a regulamentação da Lei n° 5.796, de quatro de abril de 2014, que formaliza o surgimento do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial, composta por conselheiros de diversas pastas municipais. Devido às mudanças e fusões de algumas das secretarias que compõe a instituição, os ajustes se fazem necessários para que então haja a posse dos membros do conselho.

“Nosso suporte e apoio à comunidade negra é evidente e por isso já demos início a todos os procedimentos necessários para que os ajustes adequados sejam feitos na lei. Somente com essas adequações o conselho poderá atuar e queremos solucionar essa questão com presteza, antes do início da Semana da Consciência Negra”, contou Kleber Lima, que pediu agilidade da Câmara Municipal junto aos vereadores Leonardo Oliveira e Adilson Levante.

Papel social
O Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial, tal como o Grupo de União e Consciência Negra de Mato Grosso, exercem papéis sociais fundamentais na formação do povo cuiabano. Além de ambas promoverem iniciativas que exaltem a importância histórica da cultura afro, o Grupon desenvolve cursos profissionalizantes.

“Atualmente ofertamos o curso de Especialização em Relação Ético-racial em parceria com a Unemat. Além disso, fazemos campanhas contra xenofobia e realizamos formações profissionalizantes em áreas artísticas como a Capoeira e Danças Afro. O trabalho que realizamos tem efeito prolongado e contínuo em Cuiabá”, disse Edevande.

Para Kleber Lima, ambos os órgãos quebram paradigmas históricos antigos e promovem uma valorização de seu povo como um todo. “A cultura negra é viva e parte inerente da nossa cultura. Promovê-la e integrá-la na comunidade cuiabana é um dever nosso como poder público”, concluiu.

0 comentários:

Postar um comentário