terça-feira, maio 31, 2016

Cinco hospitais fazem cirurgia de "mudança de sexo" pelo SUS no Brasil; enquanto isso... - Sebastião Siqueira



Uma portaria do Ministério da Saúde autoriza, desde 2008, que o processo transexualizador seja feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Mas, para isso, é preciso que as unidades sejam habilitadas pela pasta e tenham equipes mínimas, com médico, psiquiatra, endocrinologista, clínico, enfermeiro, psicólogo e assistente social. Para fazer cirurgias, é exigido ainda um ginecologista obstetra, urologista e cirurgião plástico.

De 2008 até 2014, foram feitos 9.867 procedimentos, entre as cirurgias de redesignação sexual (mudança de sexo), mastectomia (retirada da mama), histerectomia (retirada do útero), plástica mamária reconstrutiva (incluindo próteses de silicone) e tireoplastia (extensão das pregas vocais para mudança da voz), além de terapia hormonal.

Os cinco hospitais, todos universitários, habilitados para as cirurgias no país pelo SUS, de acordo com o ministério da Saúde, são: o Hospital das Clínicas de Porto Alegre, HC de Goiânia, HC de Recife, HC de São Paulo e o Hospital Universitário Pedro Ernesto (RJ). 
O processo transexualizador exige acompanhamento ambulatorial com equipe multiprofissional. O usuário do ambulatório precisa ter, no mínimo, 18 anos, enquanto o candidato à cirurgia precisa ter a partir de 21 anos. 
A cirurgia só é realizada após pelo menos um ano de acompanhamento do paciente pelas equipes. 

Enquanto isso, trabalhadores que procuram casas publicas de saúde para tratamento de "incômodos" simples, as vezes nem médico encontras para atende-lo. Quantas pessoas não morreram nas filas de atendimento para causas mais urgente. Parece que para a maioria da população a saúde publica é apenas um sonho.
Nada contra os grupos que conseguem tratamos especiais, mas absolutamente contra as prioridades neste país. A troca de sexo é mais urgente que uma cirurgia cardíaca? Quantos brasileiros não estão com seu quadro de saúde agravado devido a espera para ser consultado por um especialista, que na maioria das vezes demora até dois anos para que seja autorizada pelas centrais de regulação de vagas? 

Pois é, enquanto isso...





0 comentários:

Postar um comentário