sexta-feira, maio 20, 2016

Osteoporose está diretamente relacionada à quantidade de fraturas na terceira idade - Luiz Fernando Guimarães Amorim


A Osteoporose é uma doença metabólica, sistêmica, que acomete todos os ossos. A estimativa, segundo pesquisadores, é que a proporção da osteoporose para homens e mulheres seja de seis mulheres para um homem a partir dos 50 anos e duas para um acima de 60 anos. Aproximadamente uma em cada três mulheres vai apresentar uma fratura óssea durante a vida.

Como qualquer outro tecido do nosso corpo, o osso é uma estrutura viva que precisa se manter saudável, e isso acontece mediante a remodelação do osso velho em osso novo. A osteoporose ocorre quando o corpo deixa de formar material ósseo novo suficiente, ou quando muito material dos ossos antigos é reabsorvido pelo corpo - em alguns casos, pode ocorrer as duas coisas. Se os ossos não estão se renovando como deveriam, ficam cada vez mais fracos, finos e sujeitos a fraturas. 

As mulheres têm mais osteoporose que os homens. Esse índice é maior entre as mulheres, pois têm os ossos mais finos e mais leves e apresentam perda importante durante a menopausa. Entretanto, os homens também estão sujeitos a  essa doença devido a uma deficiência alimentar de cálcio e vitaminas.

Eu alerto ainda que a prática de exercícios físicos é essencial. Nesse caso, os exercícios devem ter impacto mínimo. Caminhada é a atividade mais recomendada.

O tratamento da osteoporose é voltado para a prática de exercícios através do fortalecimento muscular e ósseo, do uso de medicamentos e (nutricional) consumo de alimentos ricos em cálcio e vitamina D.

A osteoporose não tem cura, porém é devidamente controlada quando diagnosticada nas fases iniciais. Os riscos de quedas nos pacientes da terceira idade esta diretamente relacionada a quantidades de fraturas. Sendo os locais mais acometidos a coluna, os quadris e os punhos. Como a população dessa faixa etária encontra-se em aumento significativo e com previsão para 2020 de ser ainda muito maior, a chance de fraturas só tem a aumentar. Sendo as complicações em alguns casos desastrosas quando não realizado o tratamento correto. É um sério problema de saúde publica que deve ser devidamente tratado e acompanhado de forma multidisciplinar. 

Dr. Luiz Fernando Guimarães Amorim  
Médico Ortopedista e Traumatologista




0 comentários:

Postar um comentário