segunda-feira, agosto 22, 2016

E agora José? As grandes disputas olímpicas passaram e o Brasil faz contagem regressiva para o impeachment - Solimar Siqueira


As atenções dos brasileiros estiveram voltadas para os jogos olímpicos que começaram no dia 05 e terminaram ontem, 21 de agosto. Durante 16 dias o país respirou ares do mágico mundo dos grandes jogos e disputas por medalhas.

Embriagamo-nos sorvendo técnicas e lances brilhantes de mulheres e homens que são mestres em suas modalidades. Fora um escorregãozinho aqui e outro ali - nada comprometedor, o país fez bem o seu papel de anfitrião do planeta esporte.

Mas os jogos seguem - infelizmente, não com a mesma divulgação e glamour - e temos pela frente os brilhantes exemplos em superação de “limites”, nos jogos Paralímpicos. Lembremos que de 07 a 18 de setembro de 2016, 4.350 atletas de 178 países estarão em terras cariocas para competir em 23 modalidades esportivas. O calendário de competições Paralímpicas conta com 315 sessões esportivas, além das cerimônias de abertura e encerramento.

Mas a verdade é que de certa forma os olhos e atenções do país, aos poucos se voltam às coisas rotineiras e de nosso enredo costumeiro.

Na campanha de 2010, a ex-ministra da Casa Civil Dilma Rousseff (PT) passou para a história como a primeira mulher eleita presidente do Brasil. Foi reeleita em 2014. Mas, no pleno exercício do segundo mandato, a petista corre o risco de entrar novamente para história, mas de uma maneira bem diferente, por permitir atos nada abonadores em seu mandato e que já vinham, segundo investigações, praticados pelo seu partido – PT, desde a gestão anterior, comandada por Lula, da mesma agremiação política. Na próxima quinta-feira (25-08-16), o Senado começa a julgar o impeachment de Dilma, que está afastada do cargo desde o dia 12 de maio, quando os senadores aprovaram a abertura do processo na Casa.

No Senado, onde os aliados da presidente afastada acreditavam que o quadro poderia ser revertido a favor dela, o número de parlamentares em favor do impeachment aumentou. Na votação que aprovou a abertura do processo foram 55 votos contra 22. Já na sessão que ratificou o relatório que recomenda o afastamento da petista foram 59 votos contra 21.

No cronograma definido pelos presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, e do Senado, Renan Calheiros (PMDB/AL), o depoimento de Dilma Rousseff está marcado para dia o 29 de agosto, uma segunda-feira.


E agora, José?

Solimar Siqueira é diretora administrativa do siqueiranews.com

0 comentários:

Postar um comentário