quinta-feira, agosto 25, 2016

Fantasias Sexuais * Larissa H. Mamedes


As fantasias sexuais são frequentes na imaginação das pessoas, sejam elas solteiras ou casadas, com vida sexual ativa ou não. Elas funcionam como alimento para a sexualidade, ultrapassam as barreiras entre moral e imoral, pudico e obsceno, abrem os canais de expressão da sensualidade e erotismo e é uma fonte de inesgotável de criatividade e estímulos que podem auxiliar positivamente na prática da relação sexual.

Nosso maior órgão sexual, é a mente e é lá que tudo começa. É ela quem determina a nossa relação com a sexualidade, o quão culpados ou livres nos sentiremos em relação ao sexo, o quanto permissivos ou reprimidos seremos na busca e obtenção do prazer.

Um indivíduo que se desenvolveu em um ambiente onde o sexo é tabu e sua sexualidade foi reprimida, terá maior dificuldade em obter prazer sexual, expressar seus desejos sexuais, bem como exercitar livremente suas fantasias. É no nível da fantasia que ela irá encontrar um espaço onde poderá entrar em contato com sua intimidade, seu erotismo, e dar vazão aos impulsos sexuais. Uma educação muito repressora  fará com que a vergonha e a culpa impossibilitam que tais fantasias tomem forma, prejudicando de maneira devastadora a qualidade da vida sexual deste indivíduo.

Podemos afirmar que todas as pessoas têm fantasia sexual, pois ela é inerente à sexualidade. Fantasiar permite estender o prazer para além do da prática sexual, seu conteúdo permite sensações prazerosas, atuam como fonte de autoconhecimento, crescimento pessoal, criatividade, ampliação do acervo sexual, o que elimina a monotonia do sexo, que muitas vezes leva a diminuição do desejo.

Nem sempre é fácil compartilhar as fantasias sexuais com o (a) parceiro (a); muitos deixam de fazê-lo por medo de julgamentos e acabam por desperdiçar esta oportunidade de estreitar a intimidade e estabelecer maior cumplicidade, ainda que isso custe o empobrecimento ou a busca por aventuras fora do relacionamento e muitas vezes o fim da relação.

Existem várias maneiras de se introduzir esse assunto dentro de uma relação, como falar sobre algo que leu, comentar alguma cena de filme que foi excitante, citar experiências vividas por alguém conhecido, enfim, expressando abertamente o desejo de enriquecer o arsenal sexual.

É preciso estar preparado para esse diálogo! Isso envolve maturidade, estar com a mente aberta para ouvir e considerar os desejos do seu parceiro e falar sobre os seus, bem como entender que nem todas as fantasias irão se realizar. O importante é que exista esse espaço de comunicação, que haja troca e respeito, sem imposições ou julgamentos.

Lembre-se, as fantasias sexuais ocupam um lugar diferente do ocupado pela vida sexual prática, e podem ser um importante fator de enriquecimento para esta! Considere investir
na liberação deste canal e, caso haja dificuldade em fazer isso sozinho, uma boa opção será busca a ajuda de um terapeuta sexual para uma boa conversa.

*Larissa H. Mamedes  é Psicóloga e Terapeuta Sexual , CRP SEC 00055


0 comentários:

Postar um comentário