sexta-feira, agosto 26, 2016

Polícia realiza Operação "Castelo de Areia"; ex vereador João Emanuel é o foco



O ex-vereador João Emanuel, ao que parece, tem vivido mementos antagônicos do que se projetou quando surgiu para a política. De candidato mais votado em 2012, elegendo-se vereador de Cuiabá pelo PSD, com 5.824 – chegando a eleição para a presidência da Mesa Diretora da Câmara.

Todos viam em João Emanuel um rapaz com um futuro brilhante. O sogro dele, à época, era José Geraldo Riva, uma das maiores lideranças políticas daquele momento - hoje também em desgraça.

A verdade é que o então garoto prodígio não deu certo. Se envolveu em sequencias de escândalos e foi acusado de sucessivos "rolos" e falcatruas. Hoje está ele, mais uma vez, envolto em assunto de polícia.

É que a Polícia Judiciária Civil, nesta manhã de sexta-feira (26-08-16) está realizando uma operação chamada “Castelo de Areia”, e quem está no olho do furacão? Ele, João Emanuel.

A operação é para cumprimento de cinco mandados de prisão preventiva, sete buscas e apreensão e uma condução coercitiva. Entre os alvos, como já disse, está o ex-vereador da Câmara Municipal de Cuiabá, João Emanuel Moreira Lima.

A investigação, comandada pela Delegacia Regional de Cuiabá em conjunto com a Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), apura crimes de estelionatos praticados pela organização criminosa, que age em todo o Estado de Mato Grosso aplicando variadas formas de golpes, deixando prejuízos que ultrapassam R$ 50 milhões para pelo menos sete vítimas identificadas até o momento.
Em um dos golpes, uma vítima afirma que o vice-presidente da empresa Soy Group, o advogado João Emanuel, teria utilizado um falso chinês para ludibriá-lo em um suposto investimento com parceria com a China, fazendo com que o investidor emitisse 40 folhas de cheque, que juntas somam o valor de R$ 50 milhões.
As ordens de prisão e buscas são da Vara do Crime Organizado e cumpridas em Cuiabá, Várzea Grande e Chapada dos Guimarães. Um dos locais de buscas é o prédio do Soy Group, localizado na Avenida Rubens de Mendonça (CPA), ao lado da loja Havan e fundos do supermercado Comper.
Mais detalhes da operação serão apresentados às 10 horas, durante entrevista no auditório da Diretoria Geral da Polícia Judiciária Civil, na Avenida Coronel Escolástico, em Cuiabá, pelos delegados Anaídes Barros, Flávio Stringueta, Diogo Santana Souza e Luiz Henrique Damasceno.

0 comentários:

Postar um comentário