quarta-feira, setembro 07, 2016

Brasil abre os Jogos Paralímpicos do Rio-2016




Os Jogos Paralímpicos do Rio-2016 começam oficialmente nesta quarta-feira (07-09-16) e se estendem até o dia 18 de setembro. Você vai vibrar e se emocionar com a disputa de 23 modalidades. Mulheres e homens de estarão mostrando ao mundo que invés de lamentar, eles lutam e superam barreiras. Em 11 dias de competição, 528 provas valerão medalhas: 225 femininas, 265 masculinas e ainda 38 mistas.
Os Jogos Paralímpicos têm números consideravelmente menores que o da Olimpíada, mas mesmo assim eles não deixam de ser grandiosos. São cerca de 4.300 atletas de 159 países em ação. O Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês) também terá uma delegação, formada por atletas independentes e refugiados.
O Brasil é uma das potências paralímpicas - o País ficou na sétima posição no quadro de medalhas de Londres-2012, mas quem for acompanhar, seja nos ginásios ou pela TV, poderá acompanhar alguns dos maiores paratletas da atualidade.
Um deles é o sueco Jonas Jacobsson, que, aos 51 anos, já é dono de 28 medalhas, das quais 17 são de ouro. Cadeirante, ele é considerado uma lenda do tiro esportivo e, no Rio-2016, estará disputando a sua 10ª edição de Paralimpíada.
O "Bolt Paralímpico" também já está no Rio. O irlandês Jason Smyth pode reprisar o jamaicano nesta Paralimpíada porque, assim como Usain Bolt, disputará o tricampeonato nas provas dos 100 metros e dos 200 metros. Cego, Smyth é recordista mundial destas duas provas, com a marca de 10s46 (100 metros) e 21s05 (200 metros).
A Paralimpíada também terá muitas ausências - são 43 países a menos do que os Jogos Olímpicos disputados no mês passado. A principal delas é da Rússia, banida completamente da competição devido ao escândalo de doping que já havia tirado boa parte da delegação da Olimpíada.
Problemas de caixa fizeram o Rio-2016 mudar muitos de seus planos para a Paralimpíada. O de maior impacto ficou no Complexo Esportivo de Deodoro, que não terá mais seu parque aberto como aconteceu durante a Olimpíada - só as arenas serão usadas. A competição de esgrima em cadeira de rodas, prevista para ocorrer lá, foi transferida para o Parque Olímpico.
O Comitê Rio-2016 também se viu obrigado a encerrar o contrato de trabalho de quase dois mil funcionários temporários antes do previsto. Por economia, o número de voluntários também foi reduzido.

Além disso, os governos federal e da cidade do Rio de Janeiro se viram obrigados a aportar dinheiro público no evento, cujo orçamento estava previsto para ser estritamente privado. Por meio de estatais, a União investiu R$ 100 milhões através de verba publicitária. Já a Prefeitura do Rio R$ 150 milhões.

Click aqui para ler  notícias da primeira página

0 comentários:

Postar um comentário