quinta-feira, setembro 01, 2016

Servidores da Sema decidem fazer paralisação de 5 dias



Os servidores da Secretaria de Estado de Meio Ambiente(SEMA) decidiram em assembleia geral realizada ontem (quarta-feira(31-08-16) que vão fazer uma paralisação de 5 dias entre os dias 5 e 9 de setembro como forma de protesto pelo descumprimento do compromisso do Vice Governador Carlos Fávaro em solucionar a enorme defasagem salarial dos Profissionais de Meio Ambiente.

“O vice-governador assumiu conosco compromissos de realinhamento salarial da carreira com as demais consideradas por ele como de atribuições assemelhadas (EMPAER, INTERMAT E INDEA),  hoje a tabela de subsídios dos Profissionais de Meio Ambiente é uma das piores do Estado, continuando a situação atual, em maio de 2017, um técnico de nível médio do Intermat e  da Empaer irá receber no final de carreira mais que um analista de meio ambiente de nível superior da Sema, o governo se posicionou contrário a concessão de uma Verba Indenizatória aos profissionais de meio ambiente, que seria uma forma de compensar esta defasagem já que devido ao estouro dos limites da LRF, a gestão alega não poderá conceder o realinhamento e ainda fomos pegos de surpresa com esse decreto nº 675 datado de hoje(31-08-16) que impede qualquer apresentação de proposta que tenha como finalidade a revisão de planos de cargos e salários.”, comenta Gilcélio Lima presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Carreira dos Profissionais do Meio Ambiente do Estado de Mato Grosso – SINTEMA/MT.

 A categoria até foi ao palácio Paiaguás nesta terça-feira(30) para tentar se reunir com vice-governador e Secretário Estado de Meio Ambiente, Carlos Fávaro, mas ele não os recebeu, alegando estar em uma agenda externa.

 “Queremos que o governo trate a nossa categoria com respeito e entenda que queremos uma garantia de realinhamento salarial e uma forma de compensar as perdas que já sofremos até o presente momento.”, explica Gilcélio.

A categoria promete parar 100% durante a paralisação

Click aqui para ler  notícias da primeira página

0 comentários:

Postar um comentário