sábado, novembro 26, 2016

Fique por dentro de algumas curiosidades sobre peixes

                                                           

Os peixes são animais vertebrados, ou seja, com crânio presente. Eles vivem em ambientes aquáticos, seja em lagos, rios, represas ou mares. São peixes de água doce: lambari, pintado, dourado, tilápia, piranha, tucunaré, etcNo mar encontra-se: atum, salmão, bacalhau, anchova, marlim, sardinha e vários outros.
Tais animais apresentam nadadeiras e caudas, que permitem que eles nadem com muita facilidade. Muitos deles possuem escamas, e também brânquias, que são estruturas responsáveis pela respiração do animal, que acontece embaixo da água.

As curiosidades que cercam os peixes são várias e variadas, uma vez que não sabemos tanto quanto imaginamos a respeito deles. 

Características que favorecem a vida na água

Os peixes apresentam várias características que favorecem o desempenho de suas atividades no ambiente em que vivem. Entre elas, destacam-se:
  • corpo com formato, em geral, hidrodinâmico, isto é, achatado lateralmente e alongado, o que favorece seu deslocamento na água;
  • presença de nadadeiras, estruturas de locomoção que, quanto à localização, podem ser peitorais, ventrais, dorsais, caudais e anais;
  • corpo geralmente recoberto por escamas lisas, cuja organização diminui o atrito com a água enquanto o animal se desloca; além disso , a pele é dotada de glândulas produtoras de muco, o que também contribui para diminuir o atrito com a água;
  • musculatura do tronco segmentada, o que permite a realização de movimentos ondulatórios.                                                                                                                                                    A temperatura corporal

Os peixes são animais pecilotérmicos. Isso significa que a temperatura do seu corpo varia de acordo com a do ambiente. A temperatura do corpo dos peixes em geral mantém-se mais ou menos próxima à temperatura ambiental.
Respiração e circulação de sangue
A maioria dos peixes respira por meio de brânquias, também conhecidas como guelras. A água entra continuamente pela boca do peixe, banha as brânquias e sai pelas aberturas existentes de cada lado da cabeça.
Nas brânquias, onde existem muitos vasos sanguíneos, o gás oxigênio dissolvido na água passa para o sangue. Ao mesmo tempo, o gás carbônico que se forma no organismo do animal e que está no sangue passa para a água, sendo eliminado do corpo.
O coração dos peixes tem duas cavidades um átrio e um ventrículo - e por ele circula apenas sangue não-oxigenado. Depois de passar pelo coração, o sangue não oxigenado vai para uma artéria e dai para as brânquias, onde recebe gás oxigênio. A seguir, esse sangue, agora oxigenado, é distribuído para todos os órgãos do corpo do animal.
Alimentação e digestão
Alguns peixes são herbívoros, alimentando-se principalmente de algas. Outros são carnívoros, e alimentam-se de outros peixes e de animais diversos, como moluscos e crustáceos.
Nas zonas abissais - os grandes abismos oceânicos, destituídos de luz -, onde os seres fotossintetizantes não sobrevivem, há muitos peixes detritívoros, que se alimentam de restos orgânicos oriundos da superfície iluminada, e também peixes carnívoros.
O sistema digestório dos peixes é constituído de boca, faringe, esôfago, estômago e intestino, além de glândulas anexas, como o fígado e o pâncreas.

Os sentidos
Os peixes têm vários órgãos dos sentidos
  • Bolsa olfatória - São formadas por células localizadas nas narinas e associadas à percepção de cheiros das substâncias dissolvidas na água. O sentido do olfato dos peixes é geralmente muito aguçado. O tubarão, por exemplo, pode "farejar" sangue fresco a dezenas de metros de distância.
  • Olhos - Permitem formar imagens nítidas a curta distância. A distâncias maiores, percebem apenas objetos em movimento na superfície da água. Alguns peixes têm percepção das cores e outros não. Os tubarões e as raias (também conhecidas como arraias), por exemplo, não distinguem cores. Os olhos são geralmente grandes e não possuem pálpebras nem glândulas lacrimais.
  • Linha lateral - É formada por uma fileira de poros situada de cada lado do corpo, com ramificações na cabeça. Os poros comunicam-se com um canal localizado sob as escamas, no qual existem células sensoriais. Por meio das células sensoriais, o peixe percebe as diferenças de pressão da água, que aumenta gradativamente com a profundidade. Percebe também correntes e vibrações na água, detectando a presença de uma presa, de um predador ou os movimentos de outros peixes que estão nadando ao seu lado, o que é muito importante para as viagens em cardumes. Percebe, ainda, a direção dos movimentos da água, o que facilita sua locomoção na escuridão ou em águas turvas.

Palavra Peixe

A palavra Peixe é uma questão que causa confusão para muitas pessoas, diversos animais são chamados de peixes de forma errônea. Além dos peixes que realmente merecem esse título, outros animais aquáticos como moluscos, polvos e medusas também são chamados vulgarmente de peixes.
Aliás, as baleias e golfinhos não são peixes também. Pode não parecer, mas são bastante confundidos como peixes.


O Sono Dos Peixes

Outra questão que instiga a curiosidade das pessoas em relação aos peixes é se eles dormem ou não. A resposta para essa pergunta é um dúbio “mais ou menos”. Os peixes alternam períodos em que estão repousando com períodos em que estão de vigília.
Não é fácil ser um peixe no mar, por exemplo, cheio de predadores que não dormem no ponto. Em relação ao fato de eles não piscarem e não fecharem os olhos, a explicação é muito simples, eles não possuem pálpebras. Isso não significa que eles não dormem.

O Xixi Dos Peixes

Saber se os peixes fazem xixi também se mostra uma das curiosidades mais pesquisadas dentre aqueles que estão buscando saber mais dos nossos amiguinhos aquáticos. A resposta para essa pergunta é sim, os peixes fazem xixi e também bebem água, até mesmo os peixes de água salgada.


O Maior Peixe De Água Doce

O maior peixe de água doce é o Pirarucu, um exemplar dessa espécie pode chegar a ter 2 metros e pesar 200 kg, mais ou menos.


O Peixe Mais Rápido Do Mundo

O peixe agulhão-vela é o mais rápido do mundo, para se ter uma ideia ele chega a alcançar uma velocidade de 115 km/h. Imaginem só esse peixe com pressa…

Capacidade De Natação De Um Atum

Pode parecer estranho, mas uma das curiosidades mais pesquisadas acerca dos peixes é em relação à velocidade a que um atum pode nadar. A resposta para essa pergunta é 170 km num dia só. Outra curiosidade a respeito do Atum é que a sua pesca predatória está levando a espécie a ser ameaçada de extinção.

A Miopia Dos Tubarões

Quem vê os tubarões tão assustadores, talvez não imagine que eles são míopes. Porém, não se deixe enganar, pois mesmo míopes esses peixes são bastante perigosos, uma vez que possuem um olfato muito desenvolvido e ainda contam com um sistema chamado de
“linha lateral” que possibilita a eles captarem as mudanças de pressão na água.

O Choque Da Enguia

Com certeza você já ouviu alguma história a respeito do choque de uma enguia. Para tentar mensurar a capacidade desse choque, imagine uma descarga de mais ou menos 125 volts, isso é mais que a descarga de uma tomada doméstica. Tome cuidado com as enguias.

O Peixe De Olhos Divididos

O peixe conhecido como Tralhoto é aquele que possui os seus olhos divididos no meio. Mas, o que impressiona mesmo é saber que metade do olho fica dentro da água e a outra metade fora.

O Veneno Dos Peixes

Se quando alguém fala em animais venenosos, você pensa somente em cobras e escorpiões, saiba que os peixes também podem ser bastante venenosos. O peixe conhecido como peixe-homicida (o nome não é por acaso) é um bom exemplo de um peixe tão venenoso quanto uma cobra. Porém, ainda há outros peixes perigosos devido a venenos como o baiacu, peixe-escorpião e algumas espécies de raias.

Troca De Sexo

Talvez uma das curiosidades mais interessantes em relação aos peixes é que grande parte das espécies troca de sexo pelo uma vez durante a vida. Os peixes que são chamados vulgarmente de “transexuais” são divididos basicamente em dois grupos: protândrico e o protogínico.
Os primeiros são aqueles que possuem em sua juventude glândulas que possibilitam a produção, tanto de óvulos quanto de espermatozoides. Já os do segundo grupo, são aqueles que possuem ovários que têm a capacidade de com o tempo se transformar em testículos.


Fontes: Sabiologia / Animais.culturamix



0 comentários:

Postar um comentário