sábado, março 11, 2017

A ciência revela por que você fica irritado quando está com fome




Você já conhece a sensação: Você saiu de casa apressado e não tomou o café da manhã, ou talvez você tenha planejado um belo jantar e por isso, decidiu abrir mão do clássico lanche da tarde para reservar todo seu apetite. Pode ser que o processo ocorra lentamente, mas com certeza, sua velha e simples fome se transformará em uma latente rabugice e logo você está oficialmente “famento” (faminto e rabugento).
Embora sua fome ainda não seja um argumento de defesa válido em um tribunal, ela é um verdadeiro fenômeno fisiológico que não deve ser subestimado. Quando o corpo é privado do açúcar no sangue — o que acontece quando você passa muito tempo sem comer — o cérebro recebe todo tipo de sinais para assumir um comportamento agressivo. Veja aqui o que realmente acontece quando seu estômago vazio dispara todos essas emoções negativas em seu cérebro.
O que realmente implica estar “famento”?
Todos nós já passamos por isso: você já está praticamente rosnando para seu parceiro e lança olhares mortais para o garçom que demora em trazer seu pedido. Mas por quê? Bem, como explica um estudo, “os comportamentos agressivos e violentos são dominados pelo autocontrole. O autocontrole consome muita glicose no cérebro, sugerindo que a carência de glicose ou baixos níveis dessa substância em nosso metabolismo estão ligados à agressão e violência.” (Seus colegas que se cuidem na hora do almoço)
“Além de ter o potencial de enviar você direto para o analista para uma boa terapia de casais (ou… à prisão), uma alimentação que proporciona pouco açúcar ao cérebro tem outros efeitos colaterais negativos.”
Exercer autocontrole durante todo o dia demanda muita energia, e em grande parte na forma de glicose. Como explica a Medical News Today, nossos corpos transformam os alimentos na glicose que ajuda no funcionamento do cérebro. Uma simples falta desse açúcar essencial (que ocorre quando você não comeu nada durante, digamos, oito horas) pode dificultar a capacidade do cérebro de exercer autocontrole, sugere um estudo.
Mas há muito mais do que isso envolvido. A Dra. Lauren Slayton, nutricionista e fundadora da Foodtrainers de Nova Iorque, acrescenta: “O corpo tenta compensar a queda da glicemia liberando certos hormônios.” Esses hormônios, assim como o cortisol e a adrenalina, aumentam a agressividade e estimulam seu comportamento irritadiço.
As consequências de ficar “famento”
Sua fome pode manifestar-se de diversas maneiras. Um estudo mediu o nível de agressividade de alguns casais e seus comportamentos agressivos induzindo-os a espetar alfinetes em um boneco de vodu, ou a tocar uma corneta nos ouvidos do parceiro, usando fones de ouvidos. Os pesquisadores descobriram que os casais eram mais propensos a se comportar agressivamente um com o outro quando sua taxa de açúcar no sangue estava baixa. Outro estudo ainda mais surpreendente: os investigadores citaram os Índios Quolla do Peru como prova histórica de que a fome não é brincadeira. Os membros da tribo sofriam de forma crônica com níveis baixos de açúcar no sangue e tinham a reputação de serem violentos. Os assassinatos não premeditados eram bastante comuns!
“Além de ter o potencial de enviar você direto para o analista, para uma boa terapia de casais (ou… à prisão), uma alimentação que proporciona pouco açúcar ao cérebro tem outros efeitos colaterais negativos que incluem fadiga e pouca capacidade de concentração,” diz Slayton. Mesmo que você não tenha necessariamente uma resposta agressiva para o baixo teor de açúcar no sangue, você poderia ficar totalmente sem energias.
Como evitar ficar faminto
A melhor maneira de evitar ficar faminto é comer regularmente. Slayton sugere uma “regra de quatro horas” — nunca fique mais do que quatro horas sem comer alguma coisa. É importante notar, acrescenta Slayton, que a necessidade de aumentar a taxa de glicose no sangue nem sempre está associada com um estômago vazio. Então você deve se adiantar aos seus ataques de fome (basta aderir aos lanches saudáveis para evitar consumir demasiadas calorias).

Mantenha seus níveis de energia estáveis, consuma alimentos ricos em carboidratos de absorção lenta (como fibra), bem como proteínas; esses alimentos são sua melhor aposta. E embora a prevenção seja o melhor remédio aqui, você não vai ficar em apuros caso tenha que pular uma refeição. “As frutas são uma excelente escolha para proporcionar ao seu cérebro uma carga de energia rápida e bastante acessível. Elas não só contêm bastante açúcar, como também têm outros benefícios nutricionais,” diz Slayton.
Fontes: Yahoo - Medical News Today, do original de Kelly Fitzpatrick

0 comentários:

Postar um comentário