segunda-feira, abril 10, 2017

Ricos vivem dez anos mais que pobres nos Estados Unidos



O aumento da desigualdade de renda nos Estados Unidos tem ampliado também as diferenças na qualidade de vida de sua população. Um estudo da Escola de Saúde Pública da Universidade de Boston — publicado na conceituada revista científica “The Lancet” e citado pela revista “Time” — aponta que a parcela dos 1% mais ricos nos EUA vive em média dez a quinze anos mais que aqueles situados entre os 1% mais pobres.

Desde 2001, os americanos mais pobres não registram aumento na média de sobrevivência, enquanto aqueles dos grupos de renda média e mais elevado vêm ganhando em média dois anos a mais de expectativa de vida.

O documento lembra a ligação entre pobreza e más condições de saúde, já que as pessoas mais pobres têm menos recursos para arcar com cuidados de saúde e maior tendência a adotar hábitos não tão saudáveis, como fumo e dieta irregular. Os pesquisadores destacam, no entanto, que essa relação é ainda mais forte hoje: a ocorrência de doenças como diabetes e hipertensão aumentou junto com as taxas de pobreza.

“Americanos de baixa renda têm sido cada vez mais deixados para trás”, afirmou Jacob Bor, professor da Universidade de Boston e coautor do estudo.

Fontes: The Lancet e Time

0 comentários:

Postar um comentário