sexta-feira, abril 28, 2017

Sexta-feira começa sem transporte coletivo em Cuiabá


Ontem (quinta-feira 27-04-17) a Associação Matogrossense dos Transportadores Urbanos (MTU) divulgou que estava garantido os ônibus coletivos para atender a população de Cuiabá e Várzea Grande, nesta sexta-feira (28-04-17), e que tinha a afiançado que a Polícia Militar seria utilizada para garantir o direito de quem queria trabalhar (Polícia garantirá ônibus nesta sexta-feira; será?). Isso não foi o que se viu no início da manhã. Os ônibus não saíram das garagens em Cuiabá e Várzea Grande e algumas pessoas que se aventuraram a sair de suas casas tiveram dificuldade para chegarem aos seus destinos.

A adesão da categoria a paralisação nacional já havia sido adiantada pelo Sindicato dos Motoristas. O diretor do sindicato, Erisvaldo Pereira, escalado para atender a imprensa, explicou que nenhum motorista se propôs a sair das garagens durante a manhã de hoje, e que a PM não interferiu. Ele disse ainda decidiu que os veículos voltarão a circular depois das 17h de hoje.
A paralisação, que é nacional, tem a finalidade de barrar a reforma Trabalhista, aprovada nesta semana pelo Congresso Nacional e encaminhada ao Senado, além de alertar sobre a reforma da Previdência, em trâmite no Congresso.

Sindicatos que aderiram a greve geral em Mato Grosso:

Sindimed-mt -  Sinetran-MT – Sintect-MT- Sindjufe- Sintaesa- Stu-urbanitários         – SEEB-MT- Sinasepe-MT- Sintep-MT – Sintuf-MT- Adufmat-MT- Sisma-MT- Siagespoc-MT- Sindepojuc- Sindepo-MT- Sinpaig - Sindspen-MT- inpen-mt -Sindicato dos rodoviários- Sinodonto-mt - Sindscon-MT- Sindes- 

Intenção é reunir 10 mil pessoas na praça Ipiranga, Centro na capital, às 15 horas.



Click aqui para ler  notícias da primeira página

0 comentários:

Postar um comentário