quinta-feira, maio 25, 2017

Alegando baixo valor de contrato, Ecopav confirma que assim não dá para ter qualidade na coleta de lixo em Cuiabá


É visível a ineficiência na coleta de lixo em Cuiabá, muito maior no decorrer deste ano. São bairro e ruas onde o lixo não é recolhido regularmente e a prefeitura, mesmo diante das reclamações dos moradores, não dá a mínima e sempre vem com os discursos mirabolantes do prefeito Nenel, sempre querendo ganhar na conversa.

Diante da inércia do mandatário, a Câmara Municipal convocou o vice-presidente da Ecopav, empresa responsável pela coleta de lixo em Cuiabá, Luiz Poggio, para explicar os motivos da ineficiência na realização do serviço. Poggio alegou que a precariedade se dá porque há anos que os valores não são reajustados, e o que a prefeitura paga não é suficiente para  atender toda a cidade, já que a ela cresce ano após ano.

“É bem verdade que existe deficiência na coleta. Entretanto, é preciso explicar que isto vem ocorrendo porque nos últimos quatro anos a cidade de Cuiabá cresceu com o nascimento de novos bairros e condomínios. Para termos uma regular coleta é preciso uma frota com 37 caminhões coletores, no entanto, temos apenas 30. O não investimento na renovação da frota e na aquisição de novos caminhões foi devido à perda de faturamento ao longo do contrato, o que provocou desequilíbrio nas contas da Ecopav”, alegou o vice-presidente da Ecopav.

O valor mensal pago pela Prefeitura de Cuiabá à Ecopav pelos serviços de coleta de lixo é por volta de R$ 1,7 milhão. No município são coletadas cerca de 17 mil toneladas/mês de resíduos sólidos.

Enquanto isso, os vereadores que rezam na cartilha do atual prefeito, tentam repassar a culpa para a gestão passada, cujo final se deu há 05 meses. Quando será que Nenel e sua turma vai assumir a responsabilidade pelos problemas de Cuiabá? 

A tal operação emergencial de tapa buracos, por exemplo, foi só oba-oba e Blá-bláblá, a cidade, mesmo onde no papel disseram que seriam realizados reparos, está só buracos. Cadê as vozes da Câmara para obrar da prefeitura? Que foi pago pelo que seria o serviço, isso foi. Mas e daí?

0 comentários:

Postar um comentário