quinta-feira, maio 18, 2017

Wilson Santos desmente deputada em comunicado, diz não ter recebido verba e pede certidão da Assembleia Legislativa


Depois do quebra-pau entre a deputada Janaina Riva (PMDB) e o Colega de parlamento Jajah Neves (PSDB) na sessão da noite de ontem (quarta-feira 17-05-17) na AL-MT, quando a parlamentar disse que o colega, que é suplente, repassa a verba de seu gabinete para o titular da vaga, o deputado licenciado e atual secretário de Estado das Cidades, Wilson Santos (PSDB), Wilson emitiu Nota de Esclarecimento onde negou o recebimento e disse que vai solicitar à Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL) que emita uma certidão demonstrando para quem foi paga a verba indenizatória de R$ 65 mil.
Na nota, Wilson Santos diz que quer comprovar que não recebeu os valores enquanto esteve licenciado da Assembleia, entre 21 de novembro de 2016 e 10 de abril de 2017, para assumir a Secretaria de Estado das Cidades (Secid).
Ainda, conforme a nota, Wilson garantiu que recebeu “com absoluta tranquilidade” as acusações feitas e sugeriu que a deputada colhesse depoimento sobre o assunto de Jajah Neves e também do atual presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Antonio Joaquim, que foi seu suplente na Assembleia no ano de 1993.
O secretário lembrou que o ex-deputado José Magalhães também assumiu como seu suplente em 2000 no cargo de deputado federal e poderia atestar que ele nunca exigiu tal "devolução".
Wilson reforçou ainda que sua trajetória política é um exemplo de seu perfil de trabalho e “mostra sua seriedade no trato com o dinheiro público”.
Veja a íntegra do comunicado:

"NOTA DO DEPUTADO LICENCIADO E SECRETÁRIO DE ESTADO DAS CIDADES, WILSON SANTOS

O deputado licenciado do PSDB e atual secretário de Estado das Cidades, Wilson Santos, recebeu com absoluta tranquilidade a informação de que a deputada Janaína Riva (PMDB) acusou o deputado Jajah Neves (PSDB) de repassar a verba de gabinete (R$ 65 mil) a ele, titular do mandato.

Diante da acusação, feita em plenário pela parlamentar, Wilson Santos solicitará à Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) que conceda uma certidão apontando para quem foi paga a verba indenizatória entre  21 de novembro de 2016 e 10 de abril de 2017, período em que ficou afastado do Parlamento para assumir o comando da Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT).

O deputado licenciado Wilson Santos sugere ainda à deputada Janaína Riva colha o depoimento sobre o assunto não só do deputado Jajah Neves, mas também do atual presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), conselheiro Antonio Joaquim, que foi seu suplente na Assembleia no ano de 1993, e ainda o membro da igreja Assembleia de Deus e ex-deputado José Magalhães, o qual também assumiu como seu suplente em 2000 no cargo de deputado federal.



Wilson Santos disse que sua trajetória política é um exemplo claro de seu perfil de trabalho e mostra sua seriedade no trato com o dinheiro público. O parlamentar foi eleito pela terceira vez como deputado estadual em 2014 para o pleito entre 2015-2018 e obteve 20.562 votos."


0 comentários:

Postar um comentário