quinta-feira, julho 20, 2017

Garis paralisação atividades e Cuiabá fica sem coleta de lixo


Cuiabá amanheceu nesta quinta-feira sem coleta de lixo, devido a paralisação dos profissionais que realizam esse trabalho. Os garis promoveram um protesto em frente à empresa Locar, responsável pela limpeza urbana de Cuiabá.

De acordo com o presidente do Sindicato da Limpeza Urbana do Estado de Mato Grosso (Sindilimp-MT), Wenderson Alves de Freitas, a Prefeitura e a Locar garantiram a contratação de 100% do efetivo da antiga empresa de coleta, a Ecopav, e até agora só 10% realocados. A nova empresa alegou ao Sindilimp-MT que o quadro já estava fechado.

Wenderson garante que apenas 45 funcionários foram contratados, enquanto mais de 120 seguem sem serem chamados pela Locar. Ele diz que o quadro necessário para atender a Capital é de 186 funcionários.

Além disso, O Sindilimp-MT cobra o pagamento das rescisões trabalhista devido pela antiga empresa, a Ecopav, que deveria ter ocorrido até o dia 15 de julho, coisa que não ocorreu.

Os trabalhadores dizem que só irão sair da frente da empresa quando o prefeito Emanuel Pinheiro e o secretário de serviços urbanos José Roberto Stopa forem conversar com eles.

Em nota, a Prefeitura de Cuiabá se manifestou sobre a paralisação e as reivindicações dos trabalhadores.

Leia a nota na íntegra:

"A Prefeitura de Cuiabá está intercedendo para reverter a ameaça de obstrução por parte de um grupo de garis nas atividades da nova empresa (Locar) contratada para operar o serviço de coleta de lixo urbano. 

A ameaça de obstrução se dá em protesto para o imediato recebimento de parcela dos direitos trabalhistas devidos pela empresa anterior (Ecopav) que teve o contrato rescindido. 

Foram quitados os salários de junho e oito dias trabalhados em julho, além de 30% dos direitos trabalhistas. Existem bens da Ecopav dados em garantia junto aos órgãos de controle que asseguram o pagamento.  A empresa informa que está providenciando os recursos para honrar os débitos trabalhistas. 


A Prefeitura intercede junto às partes para evitar que a obstrução das atividades do serviço essencial cause transtornos e prejuízos para a população".

 

0 comentários:

Postar um comentário