quarta-feira, julho 12, 2017

Mulheres dão dez dicas do que as realiza sentir tesão * Mirian Goldenberg



Recentemente, fui convidada na direção de um debate sobre: “O que quer uma mulher?”. O convite veio junto com o desafio de gerar uma lista com dez respostas na direção de a pergunta: “O que te dá tesão?”. Com os resultados das minhas pesquisas com as mulheres brasileiras fiz a seguinte lista:

1. na direção de as minhas pesquisadas, o mais importante é sentir que são, na direção de os parceiros, únicas, especiais e superiores às demais mulheres.

2. Elas odeiam quando eles fazem comparações com outras mulheres ou com relações passadas.

3. na direção de elas, preliminares não são dez minutos anteriormente da penetração, mas tudo o que eles fazem durante o dia. Elas acreditam que o perfeito sexo é consequência de uma jibóia relação, com conversa, escuta, desvelo, compreensão, carinho, cuidado, reconhecimento etc.

4. Elas reclamam muito mais de falta de ósculo na lábios, de romance e de intimidade do que propriamente de falta de sexo.

5. Elas revelam que o cheiro ruim pode destruir a simpatia sexual (não só mau hálito e chulé, mas idem desodorantes e perfumes “fedidos”).

6. Consideram importante não dizer demais, não gerar perguntas inconvenientes e comentários cruéis. O tom da voz e o silêncio são afrodisíacos poderosos.

7. Dizem que não adianta cobrar, reclamar e exigir o desejo do outro. Se o desejo não for recíproco e espontâneo é sinal de que está mais do que na hora de repensar a relação.

8. Acreditam que uma mulher que gosta das suas imperfeições é muito mais encantador do que aquela que sofre por não ser perfeita. Nada é mais excitante do que uma mulher feliz com a própria vida. Nada é mais broxante do que uma mulher permanentemente insatisfeita, que se esconde por dispor vergonha do próprio corpo. Portanto, é preciso controlar a anseio e lembrar que todo mundo tem defeitos, inseguranças e medos.

9. Elas adoram ceder uma gostosa gargalhada. desta forma, buscam rendilhar e rir dos próprios defeitos. Afirmam que a liberdade, a simplicidade e a legitimidade (“poder ser eu mesma”) são estimulantes.

10. Por fim, elas disseram que nem sempre dispor orgasmo é sinônimo de dispor prazer, e nem sempre sentir prazer é necessariamente dispor um orgasmo. O prazer pode estar na intimidade, no carinho, no abraço, na troca e no toque.


E você? O que acrescentaria à minha lista?

Mirian Goldenberg é antropóloga e escritora, ela tem uma coluna no jornal Folha de S. Paulo.
 

0 comentários:

Postar um comentário