quarta-feira, julho 12, 2017

Vereador apoia feirantes e engaja na propositura de leis que regulam as feiras em Cuiabá


O vereador Abilio Junior (PSC) manifestou apoio ao Sindicato dos Feirantes diante da realidade que a classe trabalhadora tem enfrentado. Pois, conforme o presidente da Sindfeirantes, Mario Carreiro dos Santos, em virtude da falta de leis que regulam o trabalho nas feiras livres em Cuiabá, um grupo de pessoas estaria taxando de forma irregular o uso desses espaços.

De acordo com Mario, a cobrança feita por esse grupo é de aproximadamente R$ 550, o que geraria um lucro anual de mais de R$ 6,5 mil cobrado de cada feirante. Como em Cuiabá há, segundo o presidente do Sindfeirantes, 53 feiras livres espalhadas pelas quatro regiões da cidade, essa margem alcançaria algo em torno de R$ 44 milhões por ano ao grupo.

“Esse grupo é formado por pessoas que vivem à custa do nosso trabalho. Não é justo pagarmos um valor tão alto a essa gente, sem ter, se quer, um retorno por isso. Qualquer feira que você for não tem banheiro, estacionamento, rede de energia e várias outras necessidades que passamos todos os dias de trabalho”, disse Mario.

Para o presidente, a Prefeitura Municipal de Cuiabá deveria estar mais atenta a essa questão. “A Prefeitura tem que assumir a responsabilidade e coibir a ação desse grupo”, disse Mario, lembrando que possui alvará de funcionamento, pago no valor R$ 170.

Mario, à convite do vereador Abilio, participou da sessão, na qual utilizou a Tribuna Livre para expor essa situação de exploração dos espaços das feiras livres e pedir apoio aos demais vereadores. O pedido foi reiterado pelo vereador Abilio, que enfatizou a importância de os demais parlamentares da Casa apoiarem a causa.

“Temos que nos unir para elaboração de leis que regulam a atividade e os espaços das feiras livres, atendendo às necessidades desses trabalhadores e de todos que usam esses espaços para compras, gastronomia, lazer e diversão”, salientou Abilio.


Dana Campos

Assessora de Imprensa/Vereador Abilio Junior

 

0 comentários:

Postar um comentário