quarta-feira, agosto 02, 2017

Aleitamento Materno é um dos objetivos mundiais do desenvolvimento sustentável


Natural, completo, rico em nutrientes, na temperatura certa e de graça, o leite materno é classificado mundialmente como um alimento padrão ouro de qualidade. Por essas características, o aleitamento materno, está entre os objetivos mundiais do desenvolvimento sustentável.
Para proteger, apoiar e promover o direito de amamentar, 164 países representados por 200 grupos internacionais que formam a Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar (Ibfan) monitora o mercado de alimentos para lactantes para diminuir os conflitos de interesses entre a indústria de alimentos e o aleitamento.
A socióloga e membro da Ibfan, Rosana De Divittis, que fez nesta quarta-feira (02-08-17) a palestra de abertura do 1º Encontro Mato-grossense de Aleitamento Materno (Emama), em Cuiabá, destacou que o leite materno contribuiu para a redução da desigualdade social, da pobreza, representa segurança alimentar, previne doenças para o bebê e para crianças e também para a mãe, melhora o desenvolvimento educacional e contribuiu para o crescimento econômico do país.
Na abordagem do tema “Proteger a Amamentação: construindo alianças sem conflitos de interesse”, Divittis ressaltou que o Brasil é signatário do Código Internacional de Comercialização de Substitutos de Leite Materno, e que tem o dever de atuar no sentido de coibir práticas competitivas de fabricação, bem como a divulgação dos produtos industrializados.

De acordo com a socióloga, a indústria registrou ganho financeiro de US$ 44,8 bilhões em 2014 com projeção de atingir em 2019 o faturamento de US$ 70,6 bilhões, somente com a comercialização de alimentos industrializados para lactantes.

 

0 comentários:

Postar um comentário