sexta-feira, agosto 25, 2017

Autoridades negam tentativa de demover Silval de delação e dizem que acusações são criminosas


O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) diz em delação que, enquanto ainda estava preso no Centro de Custódia da Capital (CCC), recebeu visitas de autoridades e que elas tentaram demovê-lo de fazer delação premiada. Ele sita nomes, entre eles os senadores Wellington Fagundes e José Aparecido dos Santos, o Cidinho Santos (ambos PR).
Cidinho, segundo Silval, teria lhe afirmado que Wellington Fagundes, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Blairo Maggi (PP) e o governador Pedro Taques (identificado na ocasião como "1 PTX") estariam dispostos a ajudá-lo, trabalhando para anular a operação Ararath, que tramita na Justiça federal e apura crimes de corrupção, lavagem de dinheiro na gestão de Blairo, em troca do silêncio de Silval, que confirmou a Cidinho o interesse em confessar seus crimes.
Conforme a reportagem, Silval gravou a conversa entre ele e Cidinho com um gravador que ele pediu para um dos filhos levar para ele na cadeia logo após surgirem na imprensa notícias de que ele faria delação premiada. A gravação foi entregue à Justiça. 
Cidinho confirmou em nota a visita à Silval, mas negou tentativa de acordo
Sobre notícia veiculada no Jornal da Globo, na noite de ontem, sobre uma visita minha ao ex-governador Silval Barbosa, tenho a esclarecer que:
1- Nunca neguei o fato que foi um ato de solidariedade a um ex-chefe de Estado, uma vez que, havia a informação de que estava em depressão e, embora não tenha trabalhado ou atuado no Governo dele, não justifica ignora-lo como muitos fizeram.
2- Não sou garoto de recado, não recebi orientação e não fui a mando de ninguém.
3- Lamento que no vídeo divulgado não conste o áudio, pois, seria de conhecimento de todos que nada falei no intuito de prometer qualquer benefício ao acusado.
4- Se há algo do que se envergonhar, fica a cargo do ex-governador, que fez tudo de caso pensado, agiu de ma fé e arquitetou um plano para livrar-se da cadeia. Benefício garantido pela prática da delação premiada.
4- Por fim, sigo com a consciência tranquila e inteiramente à disposição da Justiça para quaisquer esclarecimentos.
Cidinho Santos
Blairo Maggi
Por meio de nota, o ministro Blairo Maggi também negou as acusações e diz que elas são "mentirosas e levianas". Para Maggi, a delação de Silval é uma estratégica desesperada para livrar-se da cadeia.
NOTA À IMPRENSA
O ministro Blairo Maggi considera as declarações de Silval Barbosa mentirosas e levianas e que não encontram amparo nos fatos, revelando apenas o desespero e sua estratégia montada para livrar-se da cadeia.
De forma proativa, tem-se buscado acesso ao conteúdo da colaboração junto ao STF para apresentar sua defesa e apontar a verdade dos fatos.
Maggi mantém a consciência tranquila quanto aos seus atos na vida pública e na atividade empresarial.
Pedro Taques
Nesta sexta-feira o governador Pedro Taques se manifestou sobre as acusações:
Nota de esclarecimento
O governador Pedro Taques vem a público reiterar que não tem nenhuma relação com os fatos noticiados pela imprensa acerca da delação do ex-governador Silval Barbosa. Pedro Taques reafirma que foi e é adversário político do grupo do ex-governador, não fez nem autorizou ninguém a fazer acordo de qualquer natureza com Silval Barbosa, e atribui a citação do seu nome na delação como uma tentativa rasteira e desonesta dos seus inimigos, movida por vingança, de envolvê-lo nesse escândalo monstruoso que envergonha Mato Grosso perante a Nação.
Pedro Taques afirma, ainda, que a atuação dos órgãos de controle do Governo do Estado (como CGE e PGE) - desde 01 de janeiro de 2015, primeiro dia de seu governo - foram fundamentais na elucidação dos crimes cometidos pelos gestores que o antecederam, contribuindo para levar à prisão o ex-governador, sua esposa e um de seus filhos, entre outros.
Cuiabá- MT, 25 de agosto de 2017.

GCOM – Secretaria do Gabinete de Comunicação do Governo do Estado de Mato Grosso

 

0 comentários:

Postar um comentário