sexta-feira, agosto 25, 2017

Como reconhecer um funcionário improdutivo? *Christian Barbosa


Frequentemente sou questionado por gestores sobre como identificar um profissional com problemas de produtividade e sobre o que fazer para resolver isso. Sempre ressalto que o primeiro passo é entender que é possível tornar qualquer pessoa mais produtiva. Para isso, basta identificar o problema e investir em técnicas que ajudem a estimular o desenvolvimento profissional.
Em busca de auxiliar nessa tarefa, selecionei três características de um profissional improdutivo:
Muitas desculpas e poucos resultados – As pessoas produtivas sempre dão um jeito de fazer as coisas acontecerem, enquanto as que não fazem procuram desculpas, culpam os outros ou, simplesmente, deixam passar;
Tendência a ser medroso – O funcionário improdutivo é muito medroso. Geralmente, ele justifica o fato de não ter feito determinado trabalho com inúmeros problemas ou dizendo que achou melhor fazer diferente. Na maioria das vezes, esse medo é um perfeccionismo, uma forma de não querer errar. Isso faz com que ele gaste mais tempo em uma tarefa e prejudique a sua produtividade;
Sempre faz hora extra – O profissional que não consegue realizar suas atividades no horário de expediente acaba fazendo hora extra. Se isso acontece com frequência, é importante que o gestor fique atento. Existe uma linha tênue entre a falta de horas e a falta de produtividade, e identificar essa diferença é difícil. Recomendo que o gestor faça uma análise básica de quanto tempo levaria para realizar determinado trabalho, acrescente mais 30% ao tempo total e avalie se o profissional está dentro dessa linha base.
Mas, se o funcionário for improdutivo, o que o gestor pode fazer para resolver essa situação? Indico três ações:
Converse e estimule a melhora - Quando entender quais pontos estão tornando o funcionário improdutivo, chame-o para uma conversa e dê instruções para melhorar o desempenho dele. Nesse momento é importante transmitir confiança, delegar bem as tarefas e deixar claro como as coisas devem acontecer.
Promova um treinamento de produtividade – Essa iniciativa é muito importante. Um curso de produtividade mostrará ao funcionário como é possível tornar todas as tarefas viáveis e, consequentemente, resultará em uma melhora na execução diária;
Dê chances para essa pessoa – Antes de desligar o profissional da equipe, converse com ele uma, duas, três vezes. Chamo isso de regra tríade da admissão e da demissão: quando a pessoa tem muitos problemas, dê três feedbacks. Caso isso não resolva, aí sim é hora de demitir. Essa é uma ação importante para não prejudicar os demais, pois, ao manter um funcionário que não apresenta resultados eficientes, você favorece aquele que não é produtivo e desamina os bons profissionais;
Essas são apenas algumas dicas para avaliar o seu profissional e entender como é possível acabar com a improdutividade. Claro que o assunto é extenso e existem inúmeras estratégias, no entanto, é importante identificar quem são aqueles que não apresentam resultados eficientes na sua equipe e trabalhar na solução disso. Tudo para evitar que os demais sejam contaminados pelo baixo rendimento.


*Christian Barbosa é especialista em administração de tempo e produtividade e CEO da TriadPS.
 

0 comentários:

Postar um comentário