quinta-feira, agosto 31, 2017

Diretores, coordenadores, assessores pedagógicos e professores da Grande Cuiabá assistem palestra sobre violência na escola


A Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) promoveu, na manhã desta quinta-feira (31-08-17), palestra para diretores, coordenadores, assessores pedagógicos e professores da Grande Cuiabá para difundir formas de combate à violência e à evasão escolar na rede estadual.
O encontro, organizado pela equipe do Anjos da Escola, foi realizado no auditório da Arena Pantanal e ministrado pelo promotor de justiça de Mato Grosso do Sul, Sérgio Harfouche, responsável pela implantação do Programa de Conciliação para Prevenir a Evasão e a Violência Escolar (ProCeve) em municípios do estado vizinho.
O ProCeve articula diretores, professores e pais de alunos violentos e promove o resgate da autoridade dos diretores e professores e do respeito dos alunos pelas instituições e pelo patrimônio público. O programa já foi implantado em mais de 300 escolas do Mato Grosso do Sul, é apoiado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e recentemente foi convertido em projeto de lei.
“O programa visa ao resgate dos papéis de gestores, educadores, alunos e pais na rotina escolar. Ele modifica o sistema de punição penal do adolescente infrator, ao considerar que o ato indisciplinar pode ter a sua punição no próprio ambiente escolar, ao invés de ato infracional, que é encaminhado à delegacia de polícia. Com isso, o regimento escolar passa a prever não apenas advertências, mas também atos indisciplinares”, afirmou o promotor durante a palestra.
Segundo ele, a mudança beneficia toda a comunidade escolar e não o aluno infrator pois, na prática, enquanto no ato infracional o aluno termina como infrator e a resposta é a aplicação de medida socioeducativa, no ato indisciplinar a resposta é a advertência seguida da Prática de Ação Educacional.
“Resumindo, se um aluno indisciplinado sujou, ele deve limpar; se quebrou, consertar; tudo, é claro, sem exposição vexatória. A punição é aplicada na própria escola e também se estende a pais que podem participar de todo o processo e isso também tem embasamento legal”, afirmou.
De acordo com o coronel Marcos Roberto, coordenador do Anjos da Escola, o ProCeve é um dos projetos que inspiraram a criação do Programa e que também serve de pilar e base legal para várias das ações propostas.

“Uma das diferenças é que eles fizeram isso no âmbito das secretarias municipais de educação e nós pretendemos debater e criar políticas públicas em nível estadual, justamente para combater a violência e a evasão nas nossas escolas”, afirmou.
 

0 comentários:

Postar um comentário