sexta-feira, setembro 01, 2017

Governo do estado diz em nota que TVCA mente ao dizer que houve acordo entre Taques e Silval



Nota de esclarecimento: TVCA mente ao público

Diante das inverdades divulgadas pela TVCA no telejornal MTTV 1ª Edição desta quinta-feira (31/08) e portal G1 MT, do mesmo grupo da emissora, o Governo do Estado vem a público esclarecer o seguinte:
TVCA MENTE 1: Não é verdade a afirmação da TV e do portal de que “Silval diz que fez acordo com Pedro Taques em campanha”.
A bem da verdade, o que Silval disse na delação, e mesmo assim sem provas, é que teria sido procurado pelo ex-prefeito Mauro Mendes e pelo ex-governador Blairo Maggi e estes teriam lhe proposto um acordo em troca da não perseguição de Pedro Taques a Silval, caso Taques vencesse as eleições.
Confira trecho da delação de Silval:
“QUE o Declarante se lembra que no mês de julho foi procurado por MAURO MENDES, ex-prefeito de Cuiabá e coordenador financeiro da campanha de PEDRO TAQUES; QUE nessa conversa MAURO MENDES pediu auxílio financeiro no valor de R$ 12.000.000,00 (doze milhões de reais) em favor de PEDRO TAQUES e, ainda, que o Declarante não investisse altos valores na campanha de LÚDIO CABRAL; QUE caso o Declarante concordasse com a proposta, MAURO MENDES assegurou que PEDRO TAQUES não iria "mexer com o passado, não iria olhar no retrovisor", no sentido de não determinar apuração de eventuais irregularidades cometidas no governo do Declarante; QUE o Declarante disse a MAURO MENDES que conversaria com BLAIRO MAGGI, pois este estava apoiando PEDRO TAQUES e o Declarante não confiava em PEDRO TAQUES; QUE algum tempo depois BLAIRO MAGGI procurou o Declarante pedindo para esse não investir na campanha de LUDIO CABRAL e investir na campanha de PEDRO TAQUES, haja vista que seria importante esse compromisso de PEDRO TAQUES de não procurar as irregularidades ocorridas nos governos do Declarante e BLAIRO”.
A VERDADE: As pessoas que teriam procurado Silval para propor o acordo (ex-prefeito Mauro Mendes e o senador Blairo Maggi) negam o acordo. E por uma razão muito simples: tal acordo nunca existiu.
TVCA MENTE 2: A TV faltou com a verdade novamente quando afirmou que “Silval disse ter repassado R$ 4 milhões do dinheiro da JBS para a campanha de Taques. Pelo acordo, em troca, Pedro Taques não investigaria as contas das gestões de Silval Barbosa e de Blairo Maggi, caso assumisse o governo. O mesmo acordo teria inclusive sido fechado com o empresário Alan Malouf, que sucedeu Mauro Mendes na coordenação financeira de campanha de Taques".
VEJA TRECHO DA DELAÇÃO DO SILVAL:  “(...) QUE o Declarante (Silval) acredita que o valor de R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) tenha sido pago, pois o crédito do Declarante perante WESLEY de R$ 12.000.000,00 (doze milhões de reais) passou a ser R$ 8.000.000,00 (oito milhões de reais)”.
Ou seja, o próprio Silval, apesar de insinuar, não afirma que os R$ 4 milhões foram doados a Pedro Taques. Ele apenas diz que os R$ 12 milhões de propina que tinha de crédito com a JBS foram reduzidos para R$ 8 milhões.
A VERDADE: Não houve doação de nenhum valor da JBS para a campanha de Pedro Taques em 2014. A TV manipula trechos da delação que não passam de mera suposição para tentar envolver Pedro Taques nas práticas criminosas de Silval Barbosa e seu grupo político.
TVCA MENTE 3: “Silval citou que numa reunião realizada na chácara do empresário Eraí Maggi, Pedro Taques chegou a fazer um agradecimento em público pelo apoio de Silval. Parte desse dinheiro teria sido usada para o pagamento de serviços gráficos feitos na campanha de Taques.”
TRECHO DA DELAÇÃO DE SILVAL: “QUE nesse momento foi encerrada a reunião, tendo PEDRO TAQUES agradecido publicamente ao Declarante pela ajuda e pelo comportamento, no sentido de não ter investido na campanha de LÚDIO CABRAL, bem como solicitou que o Declarante auxiliasse PAGOT no fechamento da campanha”.
Sobre gráficas, em 1.702 páginas dos três volumes e 15 apensos da delação de Silval Barbosa, ele se refere 15 vezes a gráficas, sendo que todas as menções são sobre as eleições de 2010, para sua própria coligação, e de 2014, para as coligações de Lúdio Cabral e Janete Riva. Não há uma menção de Silval Barbosa em sua delação ligando gráficas à campanha de Pedro Taques. A propósito, a TVCA pega um trecho da delação no qual ele admite um pagamento ilegal de R$ 4 milhões por despesas gráficas da sua própria campanha, e mente ao afirmar que seria da campanha de Pedro Taques.
Veja a seguir outro trecho da delação de Silval:
"DO 'RETORNO' ORIUNDO DAS GRÁFICAS CONTRATADAS PELA SAD": QUE durante as eleições do ano de 2010, a coligação "MATO GROSSO EM 1° LUGAR", era composta pelos partidos PRB, Pp, PT, PMDB, PTN, PSC, PR, PHS, PTC, PRP e PC DO B, sendo que tal coligação apoiava o Declarante para o cargo de Govenador do Estado de Mato Grosso, tendo como vice FRANCISCO TARQUINIO DALTRO, para o Senado os candidatos BLAIRO MAGGI e CARLOS ABICALIL, dentre outros candidatos para deputado federal e estadual; QUE: o Declarante se recorda que ficou um débito de serviços não contabilizados no caixa oficial referente à produção e aquisição de material gráfico perante a "GRÁFICA MILENIUM LTDA", pertencente ao "GRUPO GAZETA", para a coligação "MATO GROSSO EM 1º PRIMEIRO LUGAR", no valor aproximado de R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais);
A VERDADE: Aqui a TVCA mente duas vezes. A primeira mentira porque o próprio Silval diz que Pedro Taques teria agradecido a ele por “não ter investido na campanha de Lúdio Cabral”, e não por ter doado recursos a Taques. Já a segunda mentira é que em nenhum trecho da sua delação Silval afirma que os R$ 4 milhões seriam para pagar contas de gráficas de Taques. Silval se refere 15 vezes em sua delação sobre pagamento de dívidas de campanha com gráficas, e todas elas relacionadas a outras campanhas, não a de Pedro Taques. As dívidas da campanha de Pedro Taques estão na sua prestação de contas, que pode ser acessada por qualquer pessoa no site do Tribunal Regional Eleitoral.
 

0 comentários:

Postar um comentário