sexta-feira, agosto 04, 2017

Orlando Perri manda prender Paulo Taques


A Polícia Civil cumpriu um mandado de prisão preventiva contra o ex-secretário chefe da Casa Civil, advogado Paulo Taques, nesta sexta-feira (04-08-17). A prisão foi efetuada na casa dele, no condomínio Florais Cuiabá. A prisão é decorrente do envolvimento de Taques no esquema de escutas telefônicas clandestinas.
A determinação da prisão preventiva é do desembargador Orlandode Almeida Perri, relator no Tribunal de Justiça de uma ação que envolve o esquema de escutas clandestinas que era operado por um núcleo da Polícia Militar ligado ao 1º escalão do governo. 
Quando o esquema foi operado Paulo Taques era o secretário chefe da Casa Civil no governo de Pedro Taques (PSDB). Paulo foi apontado por vítimas das escutas e delegadas da Polícia Civil que foram ouvidas no inquérito policial instaurado para investigar o esquema de grampos.
Em trecho de seu despacho o desembargador Orlando Perri escreveu...."Cuida-se de Representação apresentada pelo delegado de Polícia Juliano Silva de Carvalho, designado nos autos do Inquérito Policial n. 78323/2017, em que se apura, dentre outras infrações penais, possível prática do crime de interceptação telefônica clandestina, na modalidade “barriga de aluguel” – ocorrida nos autos código 388156, oriunda da “Operação Forti”, que tramitou perante a Sétima Vara Criminal da Capital –, pleiteando a decretação da prisão preventiva do investigado Paulo Cesar Zamar Taques".
Ele diz ainda....  "Para melhor demonstrar a umbilical ligação das investigações levadas a efeito, ouso afirmar, sem achismo ou dedução fantasmagórica, que a inserção do terminal telefônico de Tatiana Sangalli nas operações conduzidas pela Polícia Judiciária Civil (Forti e Querubin), no primeiro semestre de 2015 – conforme exigência do então Chefe da Casa Civil –, representou, na verdade, mero desdobramento de sua escuta clandestina, uma vez que ela já vinha sendo interceptada ilegalmente desde outubro de 2014, porque inserida ilegalmente naquela investigação conduzida perante o juízo da Comarca de Cáceres".

 Paulo Taques foi levado para a sede da Polinter por volta das 11h45. Por volta das 13h50, um advogado se identificou como Gilmar e disse fazer parte do escritório Zamar Taques Advogados Associados, de Paulo Taques, explicou que o ex-secretário não foi ouvido na Polinter. Foi levado para lá apenas por questões burocráticas e que na sequência será encaminhado para o Fórum de Cuiabá para passar por audiência de Custódia. Um Siena branco de vidro fumê chegou na Polinter e saiu rapidamente levando Paulo Taques para o Fórum. A defesa informou que já vai ingressar com as medidas cabíveis junto ao Triubunal de Justiça para soltar o ex-secretário. 
 

0 comentários:

Postar um comentário