terça-feira, agosto 08, 2017

Prefeito adia multas por videomonitoramento e diz que o dinheiro arrecadado seria “arrancando o couro do condutor”


Emanuel Pinheiro (PMDB), prefeito de Cuiabá, determinou que não se puna os motoristas através das câmeras de videomonitoramento pelos próximos meses. O chefe do executivo cuiabano, depois de ouvir muitas reclamações e ponderações de populares que o interpelaram, disse que o dinheiro arrecadado seria “amaldiçoado”, visto que seria obtido “arrancando o couro do condutor”.
As multas por videomonitoramento estavam previstas para começar a valer no mês de março deste ano. O prazo, porém, foi prorrogado para julho e, agora, segue sem previsão. Cuiabá possui 32 câmeras de videomonitoramento em vários pontos da capital.
De acordo com o prefeito, a ausência de ampla divulgação da existência das câmeras de videomonitoramento é o principal motivo para não punir os motoristas. Desde janeiro, as câmeras vêm registrando as infrações e a Secretaria de Mobilidade Urbana informava os motoristas sobre as irregularidades, como forma de campanha educativa.
Essas notificações educativas somaram, entre janeiro e maio deste ano, 175 mil registros, sendo 22,77% manuais e 77,23% eletrônicas. Porém, esta campanha não estaria ocorrendo a contento do prefeito.
Atualmente, Cuiabá conta com quatro faixas exclusivas nas avenidas Getúlio Vargas, Isaac Póvoas, Generoso Ponce, e Historiador Rubens de Mendonça - que se divide em Prainha e Avenida do CPA.
Ainda segundo o prefeito, serão intensificadas campanhas educativas a fim de orientar os motoristas dos pontos em que há as câmeras de monitoramento, da forma de funcionamento, bem como os tipos de advertências e as infrações.

Diante da necessidade de nova campanha maciça de orientação, o prefeito afirmou que vai manter suspensas as multas por prazo indeterminado. 
 

0 comentários:

Postar um comentário