domingo, setembro 10, 2017

Fachin decreta prisão de Joesley e Saud, delatores da JBS



O ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), acatou o pedido de prisão dos delatores Joesley Batista e Ricardo Saud, da JBS, segundo apurou a reportagem.
As prisões são temporárias. Não há ainda previsão sobre quando serão efetuadas pela Polícia Federal.
Fachin negou estender a medida ao ex-procurador Marcello Miller.
Os pedidos de prisão dos três foram feitos pelo procurador-geral, Rodrigo Janot na sexta-feira (08-09-17).
Na sequência, os advogados deles colocaram os passaportes de seus clientes à disposição do Supremo e pediram para eles serem ouvidos por Fachin.
O centro da crise é uma gravação, datada de 17 de março, em que Joesley e Saud indicam possível atuação de Miller no acordo de delação quando ainda era procurador -ele deixou o cargo oficialmente em 5 de abril. O áudio foi entregue pelos delatores no dia 31 de agosto.
Para a equipe de Janot, houve patente descumprimento de dois pontos de uma cláusula do acordo de delação que tratam de omissão de má-fé, o que justificaria rever os benefícios.
Os três, Joesley, Saud e Miller prestaram depoimentos entre quinta (8) e sexta (9). Janot não se convenceu dos argumentos. Para ele, há indícios fortes de que Miller participou sim da elaboração do acordo de colaboração.
 

0 comentários:

Postar um comentário