quarta-feira, setembro 20, 2017

LOA 2018 de VG prevê receita de R$ 733,5 milhões


Várzea Grande prevê em sua Lei Orçamentária Anual – LOA para o ano de 2018 R$ 733,5 milhões para investimentos. A LOA 2018 foi protocolada pelo secretário municipal de Planejamento, Edson Roberto Silva, na câmara de vereadores e agora aguarda análise e votação da Casa Leis para posterior sanção da prefeita Lucimar Sacre de Campos.

O documento prevê uma receita própria de R$ 733,5 milhões para o exercício de 2018 sem contar com recursos de repasses Federal e Estadual. Essa receita é formada pela projeção de orçamento fiscal de R$ 534 milhões, o que representa um aumento de 4% se comparado ao orçamento que está sendo executado neste ano de 2017, e, para investimentos em seguridade social, a qual compreende saúde, assistência social e previdência, uma previsão de R$ 199 milhões.

Segundo o secretário Edson Roberto Silva, a Administração Municipal também aguarda as votações e aprovações do Plano Plurianual (PPA) de 2018/2021 e a da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2018, que já foram encaminhados pela prefeita Lucimar Sacre de Campos aos vereadores. “Elaboramos esses documentos com a participação popular, através das audiências públicas. A receita prevista para o próximo ano faz parte de uma dotação global de R$ 2,7 bilhões para aplicação e execução nos próximos quatro anos”.

Entre as áreas essenciais, estão educação e cultura, saúde, obras e infraestrutura urbana. Ao Poder Executivo serão destinados R$ R$ 659,6 milhões, divididos entre 20 órgãos, contando a Câmara Municipal que receberá orçamento previsto em R$ 16,843 milhões, além de pouco mais de R$ 573 mil para reserva de contingência. A administração indireta, Departamento de Água e Esgoto (DAE/VG) e Previvag tem previsão orçamentária de R$ 73,9 milhões. Totalizando os R$ 733,5 milhões previstos para o exercício de 2018.

A Secretaria de Educação receberá o maior investimento, com valor de R$ 207 milhões sendo R$ 37 milhões do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB) e R$ 170 milhões de receita própria. Na sequência aparecem as Secretarias de Saúde e de Obras, com repasses de R$ 141 milhões e R$ 126 milhões, respectivamente.

O projeto de maior impacto estrutural na cidade segue sendo o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que sozinho tem orçamento global garantido de quase R$ 500 milhões de Recursos Federais com contrapartida do município de Várzea Grande, para os próximos quatro anos, cujas etapas são anualmente executadas e concluídas, e estão transformando a cidade de Várzea Grande, ao reforçar e implantar redes de esgotamento sanitário, rede de abastecimento de água, habitação e pavimentação em diversos bairros da cidade. 
 

0 comentários:

Postar um comentário