quarta-feira, setembro 20, 2017

Tribunal de Justiça afasta de suas funções o Secretário de Segurança Pública Rogers Jarbas e determina uso de tornozeleira


Por determinação do desembargador Orlando Perri, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso afastou de suas funções o Secretário de Estado de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp MT), Rogers Jarbas. A medida não traz prejuízo de sua remuneração. Rogers Jarbas é acusado de obstrução de Justiça no caso das investigações de escutas telefônicas clandestinas. Também foi determinado apreensão do aparelho celular dele e monitoramento por tornozeleira eletrônica, em caso de descumprimento, poderá ser decretada a prisão cautelar de Jarbas.
Além do uso de tornozeleira eletrônica, o desembargador imputou a Jarbas busca e apreensão no gabinete do secretário afastado e em toda as dependências da Sesp.
O desembargador acatou pedido da delegada Ana Cristina Feldner, da Polícia Civil, responsável pelo inquérito. Na decisão Orlando Perri diz que “o secretário cometeu, e vem cometendo, inúmeros ilícitos penais, dentre eles: embaraçar investigação de infração penal envolvendo organização criminosa; abuso de autoridade; usurpação de função pública; denunciação caluniosa e prevaricação, dentre outros que poderão ser descortinados ao longo das investigações penais”.
O desembargador lembra que o Jarbas interrogou ilegalmente a delegada Alana Cardoso, que, em tese, teve envolvimento em suposto grampo ilegal ocorrido nas Operações Forti e Querubim. “E, o mais curioso, foi a tentativa de o secretário de Estado de Segurança Pública, Rogers Elizandro Jarbas, investigar, por via transversa, seu antecessor, o Promotor de Justiça Mauro Zaque de Jesus, autoridade esta que trouxe à tona a existência do malsinado grupo criminoso formado para prática de escutas telefônicas clandestinas”, citou o desembargador.
O secretário de Estado Rogers Jarbas (Segurança Pública), disse ter recebido com "surpresa" a decisão do desembargador Orlando Perri.
“Não esperava essa decisão. Nem me deram cópia dos autos ainda. Preciso ver os autos para ver o que tem”.

Após o cumprimento do mandado, Jarbas compareceu perante o Juízo da 11ª Vara Criminal da Capital, onde foi realizada audiência de custódia e colocação da tornozeleira eletrônica. 
 

0 comentários:

Postar um comentário