quarta-feira, outubro 11, 2017

Mais uma vez a justiça beneficia o assassino; rapaz que atropelou e matou frentista vai ficar “na boa”


Lamentável! O jovem Juliano da Costa Marques, 22 anos, que atropelou e matou um manobrista na Boate Valey Pub em agosto de 2017, teve mandado de prisão suspenso pela Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT), nesta terça-feira (10-10-17).

Lamentável, de novo. A “justiça” substituiu a prisão por medidas cautelares, como a proibição de frequentar casas noturnas, suspenção da carteira de motorista, além de uma fiança de R$ 20 mil.

Na sessão, os magistrados entenderam que, por Juliano não possuir históricos de outros crimes e ser universitário, não viam justificava para a manutenção da prisão. Só esqueceram que Juliano matou um pai de família, em plena juventude. Esposa, filhos e pais e amigos do José Antônio da Silva Alves dos Santos, 23, que MORREU -repito, MORREU - parece que aos olhos da justiça não perderam nada.

O crime aconteceu na madrugada do dia 7 de agosto, em frente à boate, localizada na Avenida Isaac Povoas.

O estudante foi flagrado por câmeras atropelando o manobrista Antônio da Silva dos Santos, que MORREU. 

Ele foi indiciado pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio triplamente qualificado e embriaguez ao volante.

Conforme a Polícia Civil apurou, o estudante teria tentado atingir um policial federal, com quem teria se desentendido momentos antes. No entanto, ele acabou atropelando o manobrista.

Marques foi preso em flagrante, depois de ser localizado pela Polícia Militar, e foi encaminhado à Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP).

Ele foi conduzido a uma audiência de custódia, onde o juiz Murilo Moura Mesquita, da 11ª Vara Criminal de Cuiabá, converteu a prisão em flagrante em preventiva.

Quem matou está livre. Viva a “in-justiça” brasileira!!!
 

0 comentários:

Postar um comentário