quarta-feira, novembro 08, 2017

CPI será instalada depois da leitura em plenário na próxima terça-feira

A assinatura que faltava para sacramentar a instauração da Comissão Parlamentar de Inquérito- CPI, referente a imagens e áudios que envolvem o atual prefeito da capital, Emanuel Pinheiro (PMDB) , foi dada pelo vereador Toninho de Souza (PSD) , e confirmado à imprensa na  manhã desta quarta-feira (08-11-17).

Na Sessão Plenária de terça-feira (07), durante a tribuna, ele anunciou que estava se afastando da base de sustentação do Prefeito, mas não garantiu participação na CPI. Na parte da tarde após reunião com o chefe do executivo e consulta à sua base de apoio político, Toninho decidiu pela assinatura e convocou a imprensa para confirmar seu novo posicionamento, agora com “mais independência”, segundo justificou.

Toninho foi o nono vereador a assinar a proposta de CPI apresentada pelo vereador Marcelo Bussiki (PSB), número mínimo necessário para assegurar a leitura da propositura em Plenário, o que deve ocorrer já na próxima Sessão Ordinária marcada para terça-feira (14), a partir das 9h. A leitura em Plenário é o modo como o Presidente da Câmara admite a abertura da CPI.

Bussiki apresentou o requerimento para instalação dessa Comissão Parlamentar de Inquérito ( CPI) na Sessão do dia 31 de agosto, com apoio instantâneo de  6 vereadores: Felipe Wellaton (PV), Dilemário Alencar (PROS), Abílio Júnior (PSC), Gilberto Figueiredo (PSB) e Sargento Joelson (PSC).

A sétima assinatura foi a do vereador Elizeu Nascimento (PSDC) , após seu retorno de licença, para tratar de assuntos particulares, no dia 12 setembro e na sequência. A oitava foi do Vereador Diego Guimarães.

A décima assinatura foi do vereador Luis Claudio (PP), que é advogado e concluiu que apesar de frágil – em função do tempo que os fatos ocorreram - a tese subjetiva não pode ser ignorada e, dependendo da análise das provas, pode comprometer a legitimidade do prefeito permanecer à frente da administração municipal.

Na sequência os vereadores Adevair Cabral ( PSDB) , Chico 2000 (PR), Paulo Araújo(PP ), Marcrean dos Santos (PRTB) Misael Oliveira Galvão( PSB) Juca do Guaraná Filho(PTdoB), Orivaldo da farmácia (PRP) e Ricardo Saad (PSDB) também assinaram o pedido para  a abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito.


O vereador Diego Guimarães, que preside a Comissão de Constituição De Justiça, explicou que a instauração da Comissão Parlamentar de Inquérito obedece ao rito definido no Regimento Interno da Casa. “Depois da leitura em Plenário, decorre um prazo de 120 dias para a conclusão dos trabalhos, mas esse prazo é prorrogável, em função das necessidades apresentadas”, pontuou.


0 comentários:

Postar um comentário