sexta-feira, novembro 03, 2017

Da cadeia para a presidência da Assembleia Legislativa


O deputado estadual Gilmar Fabris (PSD) passou uma temporada de 40 dias (de 15 de setembro a 25 de outubro) preso no Centro e Custódia de Cuiabá (CCC), por suspeita de obstrução da Justiça na Operação Malebolge, da Polícia Federal. No pedido de prisão feito ao Supremo Tribunal Federal (STF), a Procuradoria Geral da República (PGR) argumentou que hávia indícios de que ele tinha tomado conhecimento da operação e deixado a casa às pressas antes da chegada dos agentes da PF na casa dele para o cumprimento de um mandado de busca e apreensão.

As câmeras de segurança do prédio onde ele mora mostram o parlamentar descendo o elevador do prédio às 5h34 do dia 14 - data da operação, de pijama e chinelo, e com uma mala pequena nas mãos, segundo a decisão do ministro do STF Luiz Fux, que determinou a prisão dele. A maleta, de acordo com a PGR, poderia conter documentos de interesse da investigação, além de dinheiro.

A soltura do deputado foi decidida em votação de plenário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) no dia 24 de outubro. Dos 19 parlamentares presentes, todos votaram a favor da liberação do colega. O documento usado como alvará de soltura é assinado pela mesa diretora da Casa de Leis.

Pois bem, agora, depois dessa temporada preso, o deputado Gilmar Fabris deve assumir a presidência da Assembleia Legislativa por alguns dias. Isso porque o governador Pedro Taques (PSDB) e o vice Carlos Fávaro (PSD) vão viajar para o exterior e o presidente da Casa de Leis, deputado estadual Eduardo Botelho (PSB), ficará tomando conta do Executivo estadual. 

Taques vai liderar uma comitiva do Governo de Mato Grosso que irá à China, entre os dias 5 e 10 deste mês, para apresentar os potenciais setores para investimento no Estado. O encontro em Pequim deve promover o Estado e buscar parcerias nos setores de infraestrutura e logística, Educação, inovação tecnológica, agroindústria, indústria têxtil, mineração, turismo e energia renovável (energia solar).
No período de 11 a 15 de novembro, o vice-governador e secretário de Meio Ambiente, Carlos Fávaro, seguem para a Alemanha. Nesse período, ele, Pedro Taques e um grupo de assessores participam da 23ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP23), em Bonn, capital alemã.

0 comentários:

Postar um comentário