quinta-feira, novembro 23, 2017

Obras da UPA do Grande Cristo Rei são iniciadas e ficam prontas em 2018


Com investimentos de cerca dos R$ 4 milhões de reais foram oficialmente iniciadas as obras da Unidade de Pronto Atendimento - UPA do Grande Cristo Rei e que fazem parte de um pacote que envolve ainda a licitação para contratação das obras de quatro Unidades Básicas de Saúde - UBS nos bairros Construmat, São Mateus, Cabo Michel e Santa Isabel e que envolve outros R$ 6 milhões e também R$ 1 milhão cedido pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso através de convênio com a Secretaria de Estado de Saúde para aquisição de insumos para funcionamento das unidades.
Seguindo a mesma expectativa da UPA IPASE que em julho passado completou um ano de funcionamento com mais de 120 mil atendimentos, a Prefeitura de Várzea Grande aposta que a nova unidade também acabe se tornando uma referência no atendimento médico-odontológico através do Sistema Único de Saúde - SUS, funcionando 24 horas por dia e sem nenhum tipo de custo para as pessoas.
De sonho para realidade, assim definiu a prefeita Lucimar Sacre de Campos, ao visitar as obras da Unidade de Pronto Atendimento - UPA do Cristo Rei. Serão investidos entre obras e aquisição de equipamentos R$ 4 milhões de reais entre recursos federais e municipais.
Lucimar fez questão de acompanhar os primeiros trabalhos da obra, acompanhada pelo secretário municipal de Saúde, Diógenes Marcondes e equipe técnica. De acordo com o projeto arquitetônico, a nova UPA será edificada como Porte I, com sete leitos de observação e atuará na área de abrangência de 50 mil a 100 mil habitantes.
A UPA do Grande Cristo Rei fará parte de uma rede que inclui pelo menos outras três policlínicas, a do próprio Cristo Rei, Unipark e Parque do Lago, fora outras unidades básicas de saúde ou postos espalhados por toda a região.
A prefeita Lucimar Sacre de Campos lembrou que inicialmente a UPA do Grande Cristo Rei será Tipo 1 mas futuramente ela poderá avançar para Tipo 3, ampliando sua capacidade de atendimento.

“Este início de atividades que deverá acontecer em 2018 é necessário para depois se migrar para um novo modelo, pois tudo demanda recursos públicos, sendo que saúde tem um custo elevado, mas necessário. A empresa tem prazo de um ano para concluir a obra e é importante que os moradores e presidentes destes bairros ajudem a Prefeitura a fiscalizar a obra. Será mais uma importante ação na área da Saúde Pública, que depois de concluída e em funcionamento irá desafogar o atendimento do Hospital e Pronto-Socorro”, disse a  prefeita.

0 comentários:

Postar um comentário