sexta-feira, novembro 10, 2017

Prefeitura confirma falta de insumos, superlotação e joga a culpa no governo


Ao que parece os atuais gestores de Cuiabá ainda estão coladinhos no palanque e ainda não perceberam que o prefeito foi eleito para dirigir a cidade e não para ficar se lamentando e lançando culpas das coisas mal feitas sobre outros. O fato mais recente se relaciona com a secretaria Municipal de Saúde (SMS) que admitiu a falta de insumos, macas e superlotação no Pronto-Socorro de Cuiabá, mas disse que a culpa é do Estado.

A situação de penúria pela qual passa a saúde em Cuiabá foi exposta com a divulgação de um ofício assinado por médicos e enfermeiros relatando a falta de materiais e condições para atendimento aos pacientes nos corredores do Pronto Socorro e policlínicas.

O motivo das dificuldades na saúde, segundo o órgão municipal, seria a falta de repasses de recursos do governo do Estado.

“Esta superlotação tem sido crônica, mas foi agravada porque a Secretaria Municipal de Saúde vem enfrentando dificuldades em receber os repasses do Governo do Estado. E como este problema têm sido comum a outros municípios, onde muitos hospitais estão fechando as portas e paralisando os atendimentos, os pacientes do Estado procuram a referência em Saúde que é aqui em Cuiabá”, disse a diretora do Pronto-Socorro, Zamara Brandão, em nota.
A prefeitura só esqueceu-se de dizer que ela tem a obrigação de receber e atender qualquer paciente, já que ela tem a gestão plena da saúde e recebe dinheiro Federal para isso.
Conforme a secretaria, outro fator que agrava a superlotação está no fato de ser um hospital de portas abertas. Isso porque a unidade recebe pacientes de alta complexidade em cirurgias vasculares, oncológicas, hematológicas, ortopédicas que necessitam de próteses, urológicas que precisam colocar ‘duplo J’, cateterismo, colonoscopia, entre outras que não são especialidades da unidade.
Com relação à falta de insumos, a diretora revelou que a SMS já está providenciando uma compra emergencial que deverá suprir as demandas enquanto se aguardam as devidas licitações.
Para tentar minimizar os problemas de falta de insumos, macas, entre outros fatores agravados pela superlotação, a secretaria anunciou um mutirão, neste sábado e domingo (11 e 12), para a realização de cirurgias ortopédicas no Pronto-Socorro de Cuiabá.
Atualmente, o hospital opera com 60% acima da sua capacidade normal. Entre a sala de sutura e a vermelha, que são os pacientes no corredor, existem mais de 160 pessoas internadas. Destas, a maioria com o perfil ortopédico. Dentre os atendimentos realizados 60% são de outros municípios de Mato Grosso e apenas 40% são de Cuiabá, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.
A Pasta afirmou que haverá outro mutirão nos dias 25 e 26 deste mês e aguarda parceria com outros hospitais para realizarem as transferências.

As informações são da assessoria


0 comentários:

Postar um comentário