domingo, dezembro 03, 2017

Vereador rechaça manobra de CPI do Paletó em manter oitivas às portas fechadas

Seguindo uma lógica contrária aos princípios constitucionais da publicidade e transparência, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), instalada na Câmara Municipal de Cuiabá para investigar a suposta quebra de decoro do prefeito Emanuel Pinheiro, decidiu em reunião na manhã de sexta-feira (1º-12-17) que as oitivas serão realizadas às portas fechadas. 

Além de impedir a participação da imprensa e da população, a comissão formada pelos vereadores Marcelo Bussiki (PSB), Adevair Cabral (PSDB) e Mário Nadaf (PV) decidiu que nem mesmo os demais vereadores possam registrar ou transmitir as oitivas. 

“Eu sou inteiramente contrário a essa decisão tomada pelos vereadores que compõem a CPI, principalmente, porque claramente são violados os princípios da publicidade e transparência dos atos públicos. A população cuiabana tem direito de acompanhar cada fase da CPI, assim como nós vereadores não podemos ser impedidos de dar publicidade a um ato, que por excelência deve público”, defende o vereador Gilberto Figueiredo (PSB). As oitavas devem iniciar-se nos próximos dias.

A CPI do Paletó, como tem sido chamada pela imprensa, investigará a suposta quebra de decoro do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), quando ainda era deputado estadual, e que supostamente teria se envolvido em um escândalo de corrupção chefiado pelo ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa

0 comentários:

Postar um comentário