quarta-feira, janeiro 31, 2018

Imprensa de Mato Grosso está de luto; morreu a jornalista Lygia Lemos


A jornalista Lygia Maria de Campos Lemos, 81 anos, faleceu na madrugada desta quarta-feria (31-01-18), de falência múltipla dos órgãos, no Hospial Só Trauma, em Cuiabá. Ela vinha lutando há anos para vencer doenças degenerativas dos ossos e dos rins, tendo ficado algum tempo em cadeira de rodas.
Lígia Lemos possui atuação intensa na comunicação pública e privada de Mato Grosso, desde a década de 1970 até à primeira metade da década de 1990. Com o jornalista Onofre Ribeiro, ela foi co-fundadora e editora do jornal Diário de Mato Grosso,   fundado na década de 1970 pelo saudoso Archimedes Pereira Lima (in memorian).  
Depois, ajudou o então deputado Benedito Alves Ferraz, a fundar o Jornal do Dia, extinto na década de 1990. E, depois, novamente com Onofre Ribeiro e Vilson Menossi, participou da fundaçãoo da Revista Contato e, posteriormente, a Rádio Vila Real FM – hoje pertencente ao empresário João Dorileo Leal – superintendente do Grupo Gazeta de Comunicação.
Com José Eduardo do Espírito Santo, João Pereira Marinho Filho e Jê Fernandes, contribuiu para fundação da Associação dos Jornalistas que, na segunda metade da década de 1980, se tornou o atual Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso (Sindjor).
Na vida pública, Lygia Maria de Campos Lemos participou da criação da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Cuaibá, que deu origem à atual Secretaria de Inovação e Comunicação (Sicom). E, também, teve influência na criação o Serviço de Divulgação da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, o que originou anos depois na fundação da Secretaria de Comunicação , onde foi secretária e se aposentou na década de 1990.
Lygia Maria de Campos Lemos é mãe do secretario municipal de Comunicação de Várzea Grande, Marcos Lemos.
O velório esta acontecendo na Capela Jardins , sala Lírios, Cuiabá.

0 comentários:

Postar um comentário