quarta-feira, janeiro 24, 2018

TRF-4 mantém condenação de Lula e vota por aumento de pena


Durante a leitura do relatório, o revisor Leandro Paulsen afirmou que há provas de que Lula “agiu pessoalmente” para sustentar o esquema de corrupção na Petrobras ao bancar com o conselho de administração da empresa para emplacar suas indicações para a direção da estatal - justamente os diretores que atuavam para desviar dinheiro de contratos da empresa para partidos.
Ainda de acordo com o desembargador, o ex-presidente se beneficiou pessoalmente da “conta corrente” de propinas que o PT mantinha com a OAS. De acordo com Paulsen, assim como o partido dos trabalhadores, Lula era “credor” da construtora e esta era dona do prédio onde há o tríplex, Lula tratou o imóvel como se fosse seu.
Paulsen ainda informou que o recebimento do tríplex por parte Lula foi considerado uma lavagem de dinheiro "das mais simples possíveis", quando “se mantém no nome de outrem aquilo que é de sua própria titularidade”.
Diante disso, Paulsen, seguiu o voto do desembargador Gebran que se mostrou favorável à confirmação da sentença em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi condenado, mantendo a sentença do juiz federal Sérgio Moro quanto aos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.
Com o voto do revisor, Lula é condenado pela maioria da 8ª Turma do TRF-4 a 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.



Ex-presidente pactuou com crime e censura deve ser acima da média, diz relator ao pedir o aumento da pena para Lula

Revisor da Lava Jato vota com relator pela manutenção de condenação de Lula

Victor Laus, terceiro desembargador a votar, também confirma a sentença de Moro


0 comentários:

Postar um comentário