sábado, fevereiro 24, 2018

Quais vacinas uma criança deve tomar até os 10 anos?


Milena Carvalho do Vida e estilo, do site Yahoo, nos lembra que em meio a tempos de surto de febre amarela, muitas mães brasileiras se questionam se podem ou não vacinar seus filhos.

Milena ressalta que não é somente essa doença que preocupa. Os pequenos devem ser imunizados desde cedo, inclusive no primeiro dia de vida. Com base nas informações do Ministério da Saúde e da Sociedade Brasileira de Imunizações,  ela destaca quais vacinas uma criança de 10 anos, por exemplo, precisa tomar para estar completamente segura.

BCG-ID: Essa é a primeira vacina que um recém-nascido deve tomar. Na maioria dos casos, o bebê já é vacinado momentos após o parto – caso isso não aconteça, ele precisará tomar em até duas semanas de vida. De dose única, a BCG – sigla que vem do nome da bactéria bacilo de Calmette-Guérin – previne formas graves de tuberculose, como a meningite tuberculosa e a tuberculose miliar. É comum o aparecimento de uma mancha vermelha na pele, que depois se tornará uma pequena ferida. Com um tempo, ela desaparecerá espontaneamente.

Hepatite B: A vacina contra Hepatite B também deve ser aplicada logo após o nascimento da criança, nas primeiras 12 horas de vida. Deve-se tomar a segunda dose em um intervalo de 30 dias e a terceira depois de 6 meses completos. Nos casos de recém-nascidos hospitalizados ou com menos de 2 kg, é necessário seguir o esquema de quatro doses: ao nascer e depois aos 2, 4 e 6 meses.

Rotavírus: Há dois tipos de vacina: a monovalente – dada em duas doses, aos 2 e 4 meses de idade – e a pentavalente – distruibuída em três doses, aos 2, 4 e 6 meses. A criança que estiver protegida evitará ter diarreia por rotavírus e, assim, também não terá uma possível desidratação, febre e vômito. Normalmente os bebês não costumam ter efeitos colaterais devido à vacina, mas caso apresentem diarreia leve (em um nível menor caso não tivesse sido vacinado) e sangue nas fezes, devem ser levados ao hospital.

DTP/Hib: A vacina tetravalente previne contra difteria, tétano, coqueluche e Haemophilus influenzae B. Deve ser tomada em três doses aos 2, 4 e 6 meses. Crianças a partir dos 15 meses até a menores de 5 anos devem tomar mais dois reforços separados da DTP, enquanto a Hib apenas mais uma vez dos 15 aos 18 meses. Dos 9 aos 10 anos é necessário o último reforço da DTP. As reações mais comuns são febre, irritabilidade e vermelhidão na região.

VIP: A Vacina Inativada Poliomielite, como o próprio nome já diz, serve para proteger os pequenos de poliomielite. São necessárias três doses, também aos 2, 4 e 6 meses, sendo preciso mais dois reforços dos 15 meses aos 5 anos – que no caso deve ser a VOP, a versão oral da VIP. O eventos adverso em alguns casos pode ser a própria poliomielite associada à vacina. Nesses casos, o indivíduo pode apresentar quadro febril.

0 comentários:

Postar um comentário