sábado, março 24, 2018

Cães e gatos também ficam gripados


A gripe pode atingir cães e gatos e, se o animal estiver mais quietinho, amuado e apresentando sintomas como tosse e espirros, uma visita ao veterinário é recomendada.
Nos cães, a gripe é causada por uma bactéria chamada Bordetella bronchispetica, conhecida como traqueobronquite infecciosa canina. O contágio ocorre no contato com outro cão doente. O sintoma mais comum da gripe canina é a presença de tosse alta e seca, como se fosse um engasgo, além de febre, apatia e falta de apetite. “Em alguns casos, a doença incomoda tanto que nem o animal nem o dono conseguem dormir. A procura por um especialista, nesta situação, é recomendada”, explica a veterin'aria Ana Paula Sarraff Lopes.
Apesar da preocupação natural dos donos, não há com o que se alarmar, pois a gripe costuma desaparecer em 15 dias. Por isso, normalmente, não é receitado medicamento. Mas, se o dono estiver muito preocupado, pode procurar um veterinário, que irá medir a temperatura retal e diagnosticar se é uma gripe ou outra doença do sistema respiratório.
A vacina, esclarece Ana Paula, não é necessária todos os anos, a não ser que o cão esteja predisposto a doenças respiratórias ou se irá participar de feiras ou exposições com outros animais dos quais não se sabe a procedência. A especialista também afirma que não há possibilidade de a gripe do animal contaminar o dono e vice-versa.
Felinos
Nos bichanos, os vírus são responsáveis por causar duas doenças conhecidas como “gripe do gato”: a rinotraqueíte e calicivirose. Por terem os sintomas comuns de um resfriado humano – espirros, secreção nasal, ocular e tosse – , são chamadas de doenças do complexo respiratório viral felino e se agravam com o frio do inverno.
A melhor forma de prevenção é a vacina tríplice felina, aplicada em duas doses num intervalo de 30 dias quando o gato ainda é filhote, e depois é por meio de um reforço anual.





0 comentários:

Postar um comentário