terça-feira, março 13, 2018

Operação de combate ao mosquito da dengue em VG mostra resultados positivos


A Força-Tarefa na intensificação de ações no combate ao surto de dengue, zika vírus e febre chikungunya no município de Várzea Grande, iniciada no dia 2 de fevereiro, já traz resultados positivos de redução do número de notificações das três doenças, quando comparadas as notificações mês a mês. 
Em janeiro de 2018 foram registradas 4.027 notificações das doenças. Já em fevereiro foram registrados 2.921 casos, uma queda de 27,5% em relação ao primeiro mês do ano. O primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) apresentou um índice de 6.1%, considerado de risco, sendo que o máximo tolerável seria de 3.99%.
A Gerente da Vigilância Epidemiológica do Hospital e Pronto-Socorro Municipal de Várzea Grande, Relva Cristina, disse que as ações estão sendo desenvolvidas por setor, sendo quatro etapas por setor. As regiões do São Matheus e Jardim Eldorado já receberam 100% de cobertura das ações e fiscalizações. “Todas as ações são realizadas e refeitas antes de se avançar para o próximo setor, a exemplo do fumacê que é aplicado por ciclos, e são repetidos. Paralelamente estão sendo realizados os mutirões de limpeza”. Já foram recolhidas cerca de seis toneladas de lixo e entulho. Outra iniciativa importante são as notificações aplicadas aos proprietários de terrenos baldios e ainda à condutores dos caminhões de descarte ilegal de lixo que são responsabilizados a fazer a coleta de todo material descartado.
O fumacê, nome popular para a pulverização espacial UBV, é um procedimento que consiste na liberação via aérea de gases, que agem, por contato, atingindo os mosquitos adultos em voo. A ação do produto só é efetivada quando o inseticida está em suspensão no ar e isso mata o mosquito.  “O inseticida não mata as larvas do Aedes aegypti, que estão em caixas d’água, potes, baldes, pneus, lajes. Cerca de 90% dos focos estão localizados nas residências. Portanto, a população deve continuar em alerta e contribuindo para evitar focos do mosquito, que estão diminuindo graças ao trabalho de todos”, alertou Relva.

0 comentários:

Postar um comentário