segunda-feira, abril 16, 2018

Espinha Bífida, uma malformação que pode ser evitada com o pré-natal


Espinha bífida, apesar de ser uma patologia não tão rara, a falta de informação e conhecimento sobre o assunto, faz com que aumentem os números de bebês que nasçam com esse diagnóstico.

O uso de um complemento tão simples como a vitamina B9, mais conhecida como ácido fólico, durante a gravidez, pode fortalecer o sistema imunológico e evitar o surgimento de várias doenças, como por exemplo, a espinha bífida.

Acredita-se que a causa dessa doença, também pode estar relacionada, com a carência de zinco, diabetes na gestante, consumo de álcool no primeiro trimestre de gravidez e a fatores genéticos.

De acordo com o Ginecologista Dr. Edmundo Felix de Barros, a doença pode ser evitada fazendo o pré-natal, que é o passo mais importante da gestação.

"O uso do Ácido Fólico nas primeiras semanas de gestação reduz de modo significativo a incidência da espinha bífida. O ideal seria pelo menos três meses antes da gestação", diz. Barros ainda fala que em 40 anos de profissão, só lhe apareceram 3 casos, mas que acredita que existam muitos casos aqui na capital e afirma que muitos casos seriam evitados se o pré-natal fosse feito adequadamente.

A Espinha Bífida é uma malformação congênita comum. A identificação da malformação é detectada ainda nos primeiros meses de gestação e trás sequelas para uma vida toda. Um dilema que pode ser resolvido através de um simples passo: A informação.

A malformação se dá quando há um fechamento incompleto do tubo neural e as vértebras que recobrem a medula espinhal não são totalmente formadas, permanecendo abertas e sem se fundirem.

Após o nascimento, a espinha bífida pode ser fechada cirurgicamente, mas o paciente não pode retomar as funções afetadas na medula espinhal.

Para Abimael Melo, presidente da Associação de Espinha Bífida de Cuiabá, a divulgação da patologia, é muito importante, pois evitaria muitas crianças com a malformação. "Meu sonho é que a nossa patologia chegue aos quatro cantos do País, e que, se as pessoas soubessem mais veriam que o ácido fólico está presente em comidas simples como a couve, o miolo do pão que a gente até joga fora de vez em quando", fala.

Com mais de 190 pessoas com a patologia incluindo crianças e adultos, a associação conta com aulas de músicas, e um laboratório de informática, sobrevivendo através de doações, pois não conta com ajuda governamental.

Melo deixa um recado para quem quiser se solidarizar com a associação:“estamos precisando de remédios, sondas e fraldas geriátricas, esse último é o item que mais usamos", finaliza.


A associação fica na Rua Arara, n°40 Qd 40 - Recanto dos Pássaros - Cuiabá-MT. O telefone para contato é : (65) 3663-3745 e 99940-5027.

0 comentários:

Postar um comentário