sábado, abril 14, 2018

Países fecham acordo para reduzir em 50% emissões da navegação até 2050


A Organização Marítima Internacional (IMO) adotou, em Londres, uma estratégia inicial para reduzir as emissões de gás carbônico da navegação internacional em pelo menos 50% até 2050, em relação aos níveis de 2008.
É o primeiro acordo que visa a controlar a poluição climática do setor que, sozinho, responde por cerca de 2% das emissões globais de gases de efeito estufa, responsáveis pelo aquecimento do planeta. Se fosse um país, a navegação seria o sexto maior emissor. Isso significa que o setor, já nos próximos anos, de começar a desenvolver maneiras de funcionar com combustíveis renováveis e buscar novas tecnologias.
Tanto o setor quanto a aviação internacional ficaram de fora do Acordo de Paris, estabelecido em 2015 e que define os esforços dos países para conter o aquecimento global a menos de 2°C até o final do século, com tentativas de ficar em 1,5°C. Mas sem os dois setores é impossível fechar a conta.

O novo acordo, fechado após duas semanas de reuniões dos 170 países-membros da IMO em Londres, define também metas de redução da intensidade de carbono, ou seja, quanto é emitido pelos navios em relação à distância percorrida com carga útil. A proposta, que foi defendida pelo Brasil, é reduzir as emissões por carga útil transportada em 40% até 2030, almejando 70% até 2050, em relação a 2008.

0 comentários:

Postar um comentário