quinta-feira, maio 17, 2018

Após conselheiro do TCE determinar a suspensão da RGA em 2018, Pedro Taques diz que vai dialogar sobre o assunto e que não tem pressa


Ao comentar sobre o que pretende fazer após o Tribunal de Contas do Estado (TCE) - por determinação do conselheiro interino Isaías Lopes da Cunha, publicada nesta semana - ter determinado a suspensão do pagamento de 6,39% da Revisão Geral Anual (RGA), o governador Pedro Taques (PSDB) disse não ter pressa para decidir a respeito do pagamento previsto para acontecer em 2018.

É bom lembrar que antes da incorporação desse percentual, o Estado já estourou a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Na manhã desta quinta-feira (17-05-18), Pedro Taques disse que vai analisar a decisão do Tribunal de Contas para ver o que o Estado vai fazer.  “Não estou com pressa nisso, porque nós já pagamos, em abril, a parcela do mês de setembro (de 2017). Vamos analisar junto com a Secretaria de Gestão e a Casa Civil e, aí, resolveremos isso”, disse.

Segundo o governador, os servidores públicos também deverão ser chamados para o diálogo.

“Vamos nos reunir com os servidores públicos para encontrar o melhor caminho. Agora, Mato Grosso precisa de um ajuste fiscal, o que estamos fazendo desde a Emenda Constitucional do Teto de Gastos”, afirmou.

Pedro Taques preferiu não falar sobre a possibilidade de enfrentar um novo desgaste com servidores por conta de não-pagamento da RGA.


“Eu não quero trabalhar sobre hipótese. As secretarias que estão analisando vão me trazer isso para que eu possa fazer uma análise do momento que Mato Grosso vive. Precisamos continuar com o ajuste fiscal e isso estamos fazendo desde o primeiro dia do governo e foi concretizado no Teto”, afirmou.

0 comentários:

Postar um comentário