segunda-feira, maio 28, 2018

Chegam ao Congresso primeiras MPs do acordo com caminhoneiros; veja mais informações sobre o oitavo dia do movimento


Já estão no Congresso as três medidas provisórias (MPs) editadas ontem (27-05-18) pelo presidente Michel Temer, que resultaram do acordo firmado com os caminhoneiros para o fim dos protestos iniciados no dia 21 deste mês. A partir de agora, uma comissão mista, composta por deputados e senadores, é formada para discutir cada uma das medidas. Depois de votadas nessa comissão, elas precisam ser apreciadas pelo plenário da Câmara e do Senado.

Em uma semana mais curta, por causa do feriado de Corpus Christi, Quinta-feira (31-05-18), a expectativa é de que deputados e senadores tenham nesta segunda-feira (28-05-18) um dia atípico, já que foram convocados para sessões deliberativas às 16h em suas respectivas casas. Os presidentes Rodrigo Maia (Câmara) e Eunício Oliveira (Senado) enviaram e-mail aos parlamentares e líderes partidários para reforçar a importância da presença de todos no Congresso. No Senado, o reforço também foi feito por telefone.

A falta de combustível nos postos, provocada pela greve dos caminhoneiros, poderá prejudicar o uso da internet e dos smartphones. As empresas do setor de telecomunicação estão com dificuldade de realizar a manutenções na infraestrutura por não ter como abastecer seus veículos. O SindiTelebrasil, entidade que representa empresas prestadoras de serviços de telecomunicação, fez um pedido formal à Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) para que a frota de veículos utilizada para fazer a manutenção e o reparo da rede tenha prioridade no abastecimento.
Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), 167 fábricas do segmento em todo o País estão sem funcionar. O problema afeta gigantes como a JBS e a BRF. As exportações que deixaram de ser realizadas durante os sete dias do movimento somam US$ 350 milhões (R$ 1,25 bilhão), aponta a associação. Sem produtos perecíveis para vender, o setor de supermercados estima que o prejuízo dos varejistas no Brasil já supere a marca de R$ 1,3 bilhão. A associação das indústrias afirma que, a partir da normalização do transporte no País, serão necessários dois meses para que a distribuição dos produtos seja normalizada. 

O funcionamento da maioria das escolas particulares segue sem alterações. Conforme o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino (Sinep), Gelson Menegatti, a definição de expediente de cada instituição depende de sua própria diretoria, porém, a entidade representativa não recebeu qualquer comunicado de mudanças, mas que houve apenas pedidos de orientação a respeito da situação atípica. O Sinep representa 620 instituições em todo o Estado, sendo 240 em Cuiabá. Menegatti explica que caso as unidades educacionais decidam suspender as aulas, estas devem ser repostas, conforme determina a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) para que não haja prejuízo aos alunos. O presidente do Sinep também afirma que em algumas instituições, os funcionários estão recebendo formas alternativas de transporte, além dos ônibus urbanos, como o Uber.
As Prefeituras de Cuiabá e Várzea Grande suspenderam expediente nesta segunda-feira, assim como o governo do estado. Mas a prefeitura de Cuiabá informou que o Pronto-Socorro Municipal, UPA Morada do Ouro e UPA Pascoal Ramos, bem como as Policlínicas do Planalto, Verdão, Coxipó, Pascoal Ramos e Pedra 90 estão com os serviços de urgência e emergência funcionando normalmente. A Secretaria de Saúde informa que conseguiu uma carga emergencial de combustível para abastecer todas as ambulâncias das unidades de saúde do município, para garantir o transporte dos pacientes em caso de necessidade.

A paralisação dos caminhoneiros que completa 8 dias nesta segunda-feira (28-05-18), continua e agrava a cada dia a falta de combustíveis nos postos de Cuiabá, Várzea Grande e também em várias cidades de Mato Grosso. Para auxiliar a população, motoristas de Cuiabá e Várzea Grande criaram um grupo no WhatsApp para compartilhar informações sobre quais postos ainda têm combustível para abastecer.

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou hoje (segunda-feira 28-05-18) que o presidente Michel Temer já conversou com o presidente da Petrobras, Pedro Parente, sobre a ameaça de greve dos petroleiros. Padilha apelou para que a categoria não entre em greve num momento tão delicado, quando a BR Distribuidora está reabastecendo o país, ainda em situação dramática. Segundo Padilha, a Petrobras já está negociando com os petroleiros para que não haja paralisação. Os petroleiros anunciaram que pretendem fazer na próxima quarta-feira (30-05-18) uma greve nacional “de advertência“ por 72 horas. A mobilização é liderada pela Federação Única dos Petroleiros (FUP) e sindicatos filiados. 

Click aqui para ver matérias na página inicial

0 comentários:

Postar um comentário