quarta-feira, maio 09, 2018

Deputado Mauro Savi e primo de Pedro Taques são presos pelo Gaeco por propina no Detran


O ex-secretário da Casa Civil e primo do governador Pedro Taques (PSDB), advogado Paulo Taques, juntamente com o deputado estadual Mauro Savi (DEM) foram presos no inicio da manhã desta quarta-feira (09-05-18), na  2ª fase da Operação Bereré, denominada "Bônus". O Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco) Criminal e o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) são os órgãos de segurança que cumprem os mandados judiciais, que atinge mais pessoas suspeitas de envolvimento no esquema de propina envolvendo o Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran).
As ordens de prisão foram expedidas pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso e assinadas pelo desembargador José Zuquim Nogueira.
São seis mandados de prisão. Além do deputado estadual Mauro Savi, que também foi afastado do Parlamento Estadual e o ex-chefe da Casa Civil, Paulo César Zamar Taques, também foram presos os empresários Roque Anildo Reinheimer e Claudemir Pereira dos Santos.
A operação Bônus é resultado da análise dos documentos apreendidos na primeira fase da Bereré, dos depoimentos prestados no inquérito policial e colaborações premiadas. Tem como objetivo desmantelar organização criminosa instalada dentro do Detran para desvio de recursos públicos.
De acordo com as investigações, Savi seria o responsável pelas indicações políticas no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) durante o governo Silval Barbosa. Ele seria um dos principais beneficiados no esquema de propina na autarquia.
O ex-deputado José Riva disse em seu depoimento na Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), que chegou a ser convidado por Savi para participar do esquema em 2010.
O ex-deputado também disse em seu depoimento que Savi teria lhe confidenciado que “as propinas do Detran não ficavam só para ele, eis que tinha que dividi-la com Pedro Henry, Eduardo Botelho e até para Paulo Taques”.

Paulo Taques também foi citado pelos empresários Roque Anildo Reinheimer e Marcelo da Costa e Silva. Eles disseram à Polícia Civil e ao Ministério Público Estadual, que o escritório de advocacia que tem como um dos sócios o ex-secretário Paulo Taques seria o responsável por tratar de assuntos relacionados à empresa em Cuiabá.

0 comentários:

Postar um comentário