sábado, maio 19, 2018

Especialista em sexo afirma: dormir em camas separadas aumenta a intimidade




A escritora norte-americana (e rainha das redes sociaisRachel Kramer Bussel dorme sozinha. Ela mora com seu namorado e não poderia estar mais feliz.  “Nós descobrimos logo no início do relacionamento que não éramos compatíveis dormindo um ao lado do outro,” Kramer Bussel disse ao Yahoo Health. “Nós não dormíamos bem, ficávamos aborrecidos, e éramos maldosos um com o outro por causa disso.”

Em maio deste ano, uma estadia em um hotel permitiu que o casal fizesse uma descoberta. Na primeira noite Rachel e seu namorado dividiram a cama, o que causou a infelicidade de ambos. Na segunda noite, sem conseguir dormir, ela pegou o edredom e foi para a banheira, onde leu até adormecer confortavelmente.

“Quando descobrimos que aquilo não estava funcionando e que poderíamos facilmente ter quartos separados, nós fizemos isso… Quando começamos a procurar por apartamentos (juntos), visitamos apenas unidades com dois quartos. Eu diria que esta é a nossa prioridade número um, pois o resto do nosso relacionamento e de nossas vidas diárias depende da qualidade do nosso sono.”

O que foi mais surpreendente sobre a nova decisão? Kramer conta que ter quartos separados fez com que o relacionamento dos dois se tornasse muito mais íntimo.

“Eu nunca me sinto ‘separada’ do meu namorado,” ela diz. “Nós literalmente damos 'boa noite’ antes de dormir, nos beijamos, falamos que nos amamos, e fazemos o mesmo pela manhã. Eu acho isso muito mais íntimo e reconfortante do que quando eu dormia junto com ex-parceiros no passado e nós apenas resmungávamos algo um para o outro ao acordar. Eu acho que isso preserva a nossa autonomia em termos de como e quando dormimos, e nos dá privacidade e espaço.”

Ter quartos separados pode melhorar a intimidade, ela observa, já que “quando estamos na cama juntos, quase sempre no quarto dele, este é o nosso momento de estar um com o outro, não apenas uma hora genérica de ir para a cama que nós dividimos… Quando nós nos juntamos, geralmente depois de assistir TV ou nas manhãs dos finais de semana, não há pressões nem expectativas. Nós estamos lá porque nós dois queremos estar lá.”

Para aqueles que se sentirem atraídos pela ideia de ter quartos separados e estiverem considerando a hipótese, Kramer Bussel (foto) enfatiza que, primeiramente, é fundamental “separar o que é certo para você das opiniões do resto do mundo. Você não pode controlar as ações ou reações de todos, então se esta é a melhor decisão para você, não tenha medo de tomá-la. Faça com que seu parceiro tenha certeza de que você o ama e adora passar seu tempo com ele, mas que, por suas próprias razões, você quer dormir sozinha. Eu acho que você pode criar rituais para que vocês foquem um no outro, seja antes de dormir, pela manhã, ou em qualquer outro momento, que possa substituir o que as pessoas acreditam que se tem quando se dorme junto.”

E como uma editora de erotismo (seu último livro, ’Dirty Dates: Erotic Fantasies for Couples' foi lançado nos Estados Unidos em novembro), Kramer Bussel conhece muito bem a arte de manter o romance vivo no relacionamento, independentemente de como ou onde o casal dorme.

“Eu recomendo ler alguns contos eróticos, seja em voz alta um para o outro ou deixando um livro no criado-mudo para o seu parceiro,” ela sugere, “Se isso não faz o seu estilo, outra ideia é deixar bilhetes sensuais um para o outro. Eu acho que é importante respeitar o espaço da outra pessoa, mas também fazê-la saber que você está pensando nela. Se um dos dois vai dormir mais cedo, o outro pode deixar um bilhetinho na cozinha, ou enviar um e-mail sexy antes da pessoa acordar.”

E quanto às críticas dos outros? Bom, ainda não foi preciso enfrentá-las.

“Talvez por nós estarmos claramente apaixonados um pelo outro, eu acho que as pessoas conseguem perceber que “quartos separados” não é um código para “problemas no relacionamento,"” ela diz.

Yahoo Health

0 comentários:

Postar um comentário