quinta-feira, maio 24, 2018

Greve de caminhoneiros pode desabastecer postos de Cuiabá e Várzea Grande; transporte coletivo deve reduzir frota e supermercados já tem desabastecimento


A greve dos caminhoneiros já está trazendo consequências para o bolso da população, gerando alta de preços de produtos vindos de outras partes do país. Hoje (quinta-feira 24-05-18) é o 4º dia da manifestação que é nacional. 

A Associação Brasileira de Supermercados (Abras) afirmou em nota que identificou dificuldades de abastecimento em diferentes Estados brasileiros. A entidade considerou que os problemas poderão se estender para todo o Brasil.

Outro setor que já sente sinais da paralisação é o de combustíveis. Os preços estão disparados e até as empresas de transporte coletivo de Cuiabá e Várzea Grande estão no limite para abastecer a frota, segundo a Associação Mato-Grossense dos Transportes Urbanos (AMTU).

Algumas empresas já falam em reduzir a frota em circulação e a previsão é que os veículos rodem normalmente só até às 12h desta sexta-feira (25-05-18).

De acordo com a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), as empresas de ônibus são responsáveis por 86,3% do deslocamento da população nas cidades brasileiras e afirmam ter registrado este ano, de janeiro a maio, prejuízo de R$ 1 bilhão devido ao aumento médio de 11% no preço do óleo diesel nos 5 primeiros meses do ano. 
A alta acumulada do diesel este ano está dez vezes acima da inflação do período, já teria levado 33% das 1,8 mil empresas ao endividamento, segundo a associação.

Em Cuiabá operam as empresas  da Integração Transportes, Norte Sul Transportes, Pantanal Transportes e União Transportes, esta última atende também Várzea Grande, região metropolitana da Capital.
Click aqui para ver matérias na página inicial

0 comentários:

Postar um comentário