quarta-feira, maio 16, 2018

Reitoria decide que definição de reajuste de refeições na UFMT fica para 2019


Após os estudantes terem deflagrado greve geral e ocupado os blocos da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT),  a reitora Myrian Serra anunciou a suspensão da discussão sobre a implantação da nova “política de alimentação estudantil” até dezembro deste ano. Isto quer dizer que a decisão sobre o reajuste, ou não, do preço das refeições no Restaurante Universitário (RU) fica para 2019.

A proposta que foi anunciada para ser implantada este ano previa que a UFMT subsidiasse integralmente o pagamento das refeições servidas no Restaurante Universitário somente aos alunos de graduação com renda per capita familiar de até 1,5 salário mínimo e 50% do custo para estudantes de graduação presencial e pós-graduação.

Com isso, os estudantes com renda superior pagariam o valor de pouco mais de R$ 3 no café da manhã e R$ 11 nos almoços e jantares. No modelo atual, os universitários pagam R$ 0,25 no café da manhã e R$ 1 nos almoços e jantares, enquanto a UFMT subsidia R$ 3,05 e R$ 10,05 respectivamente.
A decisão de suspender o reajuste foi comunicada pela reitoria aos Comandos de Greve dos estudantes e Diretório Central dos Estudantes (DCEs) dos campi de Cuiabá, Várzea Grande, Sinop, Araguaia e Rondonópolis, para deliberação de modo que sejam encerradas as ocupações e retomadas as aulas. Os estudantes já foram comunicados e ainda avaliam quais as medidas a serem tomadas.

0 comentários:

Postar um comentário