quarta-feira, junho 27, 2018

Justiça manda penhorar bens de Mauro Mendes


O juiz Yale Sabo Mendes, da 7ª Vara Cível de Cuiabá, mandou penhorar os bens do ex-prefeito de Cuiabá e pré-candidato ao Governo, Mauro Mendes (DEM), após não encontrar dinheiro na sua conta do Banco do Brasil para garantir o pagamento das despesas de um processo.

O processo em questão envolve um cheque sem fundo entregue à empresa Ribeiro Miguel Sutil Auto Posto (Posto Millenium).

A decisão foi dada após Mendes não pagar a dívida e não se manifestar nos autos, contrariando a determinação do magistrado.

O processo tramita desde setembro de 2010 e foi movido pela empresária Marilena Ribeiro, dona do posto. Ela ingressou com a ação após depositar o cheque - emitido durante a campanha eleitoral de Mendes ao Governo do Estado, em 2010 -, e o documento ser devolvido por falta de saldo.

De lá pra cá, o ex-prefeito já recorreu diversas vezes para anular a dívida, alegando que o cheque havia sido fraudado. Ele afirmou que a data de emissão do cheque teria sido alterada, uma vez que o documento foi assinado entre agosto e outubro de 2008, “e não em setembro de 2010, como consta grafado no título”.

Quanto à dívida, ele afirmou que emitiu o cheque em garantia a negociações de campanha eleitoral a fim de obter doações de empresários, mas posteriormente foi informado de que tal cheque teria sido inutilizado.


Segundo o ex-prefeito de Cuiabá, o documento foi mantido em poder de terceiros “de forma abusiva” e sem o seu conhecimento, sendo que, em 2010, “ressurgiu das cinzas” no intuito de manchar sua honra e reputação durante a campanha. 


Porém, os recursos de Mauro foram todos negados e a dívida entrou na fase de execução. Ele pagou a dívida, mas as despesas do processo continuaram pendentes.


0 comentários:

Postar um comentário