segunda-feira, julho 30, 2018

Como a Venezuela sobreviverá a uma inflação estimada em 1.000.000%


A inflação da Venezuela pode chegar a 1.000.000% este ano, segundo uma projeção do FMI que dá margem a muitos cenários e a uma única certeza: a dramática deterioração das condições de vida no país.
Hoje a salário mínimo de um venezuelano - 1,50 dólar pela taxa do mercado paralelo - dá somente para comprar um quilo de frango. As finanças públicas definham com a queda da produção petroleira, responsável por 96% das receitas do país.
O horizonte sombrio apontado pelo FMI - com uma queda de 18% do PIB - não surpreende a população, que enfrenta a crise diariamente.
"Nada mais me surpreende. Todos os dias as coisas aumentam. Não é gradual, é exponencial", comentou à AFP Marcos Salazar enquanto comia um hambúrguer que custou um salário mínimo.
Professor de 31 anos, ele sobrevive com três trabalhos e remessas de familiares no exterior.
Estima-se que 1,6 milhão de venezuelanos tenham emigrado desde 2016 por causa da crise, que segundo as principais universidades do país elevou a pobreza para 87% em 2017.
O FMI acredita que esse êxodo se intensificará ainda mais pela escassez de comida e medicamento e pela deterioração dos serviços públicos, com um forte impacto na região.
- Explosão incerta -
Maduro, cuja reeleição em 20 de maio não foi reconhecida em grande parte da comunidade internacional, tem à frente um desafio de equilibrista para não perder o controle.
Ele enfrenta crescentes protestos de funcionários estatais por melhorias salariais e de cidadãos cansados das contínuas falhas nos serviços públicos.
Essas manifestações, entretanto, estão isoladas e contam com a liderança da oposição, por enquanto desarticulada e com vários líderes presos ou exilados.
 

0 comentários:

Postar um comentário