quinta-feira, agosto 09, 2018

Justino Malheiros não pode disputar a reeleição de presidente da Câmara


Uma decisão Judicial, proferida pelo desembargador Rui Ramos, exclui o vereador Justino Malheiros (PV) da disputa pela presidência da Mesar Diretora da Câmara de Cuiabá. Atual presidente da casa, Malheiros sonhava em continuar no cargo por mais dois anos, chegando até a botar goela abaixo da oposição, uma lei “mandraque” que assegurava-lhe a possibilidade da reeleição. A lei,  aprovada em maio, alterou o regimento interno da Câmara permitindo a reeleição do atual presidente.

Na votação de maio, Malheiros foi quem desempatou o placar e fez vencer a proposta de reeleição. A resolução foi aprovada por 13 votos a 12. Indignados, nove vereadores entraram com pedido de liminar pela suspensão, que foi acatado pela 3ª Vara Especializada da Comarca de Cuiabá.
Justino Malheiros, apontados por muitos como fiel escudeiro do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), dizem, filtra e engaveta tudo que possa respingar no chamado “patrão’. Dai o desejo dele e do chefe do executivo em continuar o Status Quo.

Na nova decisão, Rui Ramos discorda da tese de interferência do Poder Judiciário na Câmara proposta pela defesa de Justino. O desembargador entende que a liminar deferida cumpriu a regra que, até então, vigorava no regimento interno.
Malheirosd se mostra incansável nas suas articulações para encontrar uma brecha e manter a atual situação. Nos corredores da Câmara, dizem que se ele tivesse a mesma disposição para o trabalho, quanto tem demostrado para se agarrar na cadeira de presidente, as coisas pelos lados da Câmara seriam menos desastrosas, reforçando a pecha de “A Casa dos Horrores”.

Na balada para não perder as vantagens do cargo, Justino tem cobrado ação do prefeito, já que ele, Justino, fez sua parte e agiu como uma Quimera da mitologia grega, detonando o que pode para livrar o chefe de qualquer ação da CPI do Paletó. Essa comissão seria para investigar envolvimento do prefeito, quando deputado, em esquema de propina alimentado pelo ex-governador Silval barbosa. Emanuel foi gravado em vídeo recebendo pacotes de dinheiro.

O vereador tem, agora, cerca de 15 dias para conseguir vencer o revés judicial e se registrar como candidato. A eleição da Mesa ocorre no dia 25 de agosto.

0 comentários:

Postar um comentário